PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

De passagem pelo Recife, Bolsonaro não anuncia como será execução de projetos para o Nordeste

Presidente esteve reunido no Recife com governadores de 11 de Estados e representantes políticos do Nordeste

16:27 | 24/05/2019
25º reunião do Condel, no Instituto Ricardo Brennand
25º reunião do Condel, no Instituto Ricardo Brennand(Foto: via JC)

Apesar da expectativa, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) saiu do Recife sem explicar como se dará o planejamento para execução de obras no Nordeste. Questionado sobre o balanço da reunião com os governadores no Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o presidente se limitou a responder: "Primeira vez, espero que tenha mais. Toda primeira vez é muito bom. Eu tô muito feliz com essa reunião daqui".

A reunião aconteceu na manhã desta sexta-feira (24) no Instituto Ricardo Brennand, complexo cultural da Capital Pernambucana, localizado no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife.

De passagem pelo Nordeste pela primeira vez neste mandato, o presidente alegou que ainda não tem nova data prevista para visitar a Região. "Eu ia voltar depois de 6 de setembro, mas não deu. Eu não sei. A agenda é muito grande. O mundo todo. Vou estar na Argentina no começo do mês que vem agora", explicou.

FNE

O governo federal ainda não explicou o custo e nem de onde deve tirar recursos para colocar em prática o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). O Ministro da Pasta de Desenvolvimento Regional, Marcelo Canuto, que acompanha o presidente nesta primeira viagem ao Nordeste, explicou que os recursos relacionados ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que devem receber um acréscimo de R$ 4 bilhões de reais, virá de retorno de outros investimentos.

"Os recursos são retorno dos investimentos. O FNE faz financiamento, então com isso, o banco do Nordeste fez uma revisão com uma estimativa, esse valor está voltando dos financiamentos que foram feitos. Ou seja, menor inadimplência, pagamento em dia, trouxe uma estimativa maior para os investimentos", pontua o auxiliar, que ressaltou que o orçamento do fundo passará de R$ 23,7 para 27,7 bilhões.

Jornal do Commercio

via Rede Nordeste