PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro fez endoscopia pela manhã e recebe lideranças partidárias no Planalto

16:10 | 10/04/2019
Em um esforço para reforçar o diálogo do Executivo com o Congresso, a agenda do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), prevê nesta quarta-feira (10) mais encontros com lideranças de partidos no Palácio do Planalto. Na parte da manhã, às 11h30, o presidente recebe o deputado federal José Nelto (GO), líder do PODE na Câmara dos Deputados, e sua colega de partido, deputado Renata Abreu (PODE-SP).
Antes, o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar, também se encontra com Bolsonaro. Os dois encontros terão a presença do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, responsável pela articulação política com o Congresso. O primeiro compromisso oficial de Bolsonaro prevê ainda uma audiência, às 10h, com o deputado Sargento Fahur (PSD).
Apesar de o encontro com o parlamentar inaugurar oficialmente a dia de Bolsonaro, o presidente da República cumpriu uma agenda privada por volta das 7h. De acordo com a assessoria, que inicialmente não havia divulgado qual era o compromisso, Bolsonaro foi fazer um exame programado de endoscopia no Hospital das Forças Armadas. De acordo com os assessores, "está tudo ótimo" com o presidente, que durante a campanha eleitoral foi alvo de um atentado a faca.
Na parte da tarde, às 14h, o presidente e Lorenzoni recebem o presidente nacional do Novo, João Amoêdo, e mais parlamentares da legenda. A agenda também prevê um encontro com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), para às 16h30. No fim da tarde, os dois também recebem o presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo, o líder do partido no Senado, Zequinha Marinho e o deputado André Ferreira, líder do PSC na Câmara.
Pela noite, Bolsonaro deve participar de jantar com 51 embaixadores de países árabes e muçulmanos. O compromisso foi anunciado ontem pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Segundo ela, o jantar é um esforço para mitigar as desconfianças dessas nações relacionadas à promessa do presidente de mudar a embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém.

Agência Estado