PUBLICIDADE
Política
ENTREVISTA

Bolsonaro diz que Camilo Santana provou que não se combate violência com direitos humanos

Para o presidente, governos do Nordeste precisam da reforma da Previdência pois estão "quebrados"

11:33 | 09/04/2019
Bolsonaro falou sobre a tramitação da reforma da previdência e disse que proposta deve ser aprovada rapidamente
Bolsonaro falou sobre a tramitação da reforma da previdência e disse que proposta deve ser aprovada rapidamente(Foto: Reprodução/Youtube)

Atualizada às 15h25min

Durante entrevista à rádio Jovem Pan na noite dessa segunda-feira, 8, Jair Bolsonaro (PSL) relatou um diálogo que teve com o governador Camilo Santana (PT) sobre a violência no Ceará. “Ele provou que essa questão do combate à violência não pode ser com direitos humanos”, disse o presidente, afirmando que conversou “como dois velhos conhecidos” com o petista.

“Ninguém quer maltratar, torturar, o que quer que seja, mas a política dos direitos humanos, como é feita no momento, e que deixou de ser feita agora com a Damares (ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos), mas como sempre foi feita pela esquerda, protegendo o infrator, o criminoso, não pode continuar", defendeu Bolsonaro. Ele disse que esse tratamento “da esquerda” estimula a violência no Brasil.

O presidente falou sobre a conversa com Camilo no momento em que criticava partidos opositores pelas ofensas proferidas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, durante defesa da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Para ele, os estados e governadores do Nordeste precisam da reforma. “Esse pessoal do PT, PCdoB e Psol estão torcendo para a reforma ser aprovada sem o voto deles”, afirmou. Bolsonaro acredita que a proposta será aprovada em pouco tempo.

Através de sua assessoria de comunicação, Camilo Santana enviou nota onde afirma que "sempre defendeu que as ações de combate à violência e contra o crime organizado, dentro e fora dos presídios, serão sempre feitas com rigor necessário, e dentro da lei".

Confira a entrevista na íntegra. Bolsonaro fala sobre Camilo Santana aos 38 minutos e 2 segundos:

Redação O POVO Online