PUBLICIDADE
Política
Twitter

Moro compara pacote anticrime com filmes norte-americanos: "Funciona lá fora, vai funcionar aqui"

Segundo o ministro, no projeto de lei fica claro que vender ou entregar drogas ou armas para um policial disfarçado é um crime. Para Moro, essa ação não é algo impossível "como alguns entendem com base na legislação ultrapassada"

23:51 | 08/04/2019
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante entrevista coletiva, após reunião com governadores e secretários estaduais de Segurança Pública para apresentar o Projeto de Lei Anticrime.
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante entrevista coletiva, após reunião com governadores e secretários estaduais de Segurança Pública para apresentar o Projeto de Lei Anticrime.(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, utilizou as redes sociais para defender o pacote anticrime e o trabalho de policiais disfarçados. Em sua conta no Twitter, Moro comparou o pacote com filmes norte-americanos. "Funciona lá fora, vai funcionar aqui", justificou ele.

Em uma série de postagens, Moro explicou como funcionaria o trabalho infiltrado de agentes no Brasil. "Já assistiu aqueles filmes norte-americanos com agentes policiais disfarçados infiltrando-se em gangues de criminosos, traficantes ou corruptos? Como Donnie Brasco ou The Infiltrator e que retratam casos reais. Pois bem, precisamos deixar a lei brasileira mais clara para que agentes policiais no Brasil possam fazer o mesmo", apontou Moro.

Segundo o ministro, no projeto de lei fica claro que vender ou entregar drogas ou armas para um policial disfarçado é um crime. Para Moro, essa ação não é algo impossível "como alguns entendem com base na legislação ultrapassada". Ele ainda afirmou que a participação de um policial disfarçado em uma operação de lavagem não exclui o crime.

"Objetivo, melhorar a lei para permitir que agentes policiais brasileiros possam atuar de maneira disfarçada e revelar grandes esquemas de venda de drogas, armas ou de lavagem de dinheiro e que o criminoso assim descoberto vá para a prisão", dizia um dos tweets.

Moro também afirmou que, paralelamente, haverá investimentos em treinamentos e capacitação dos agentes. "Alerta, o objetivo é revelar esquemas criminosos pré-existentes e expor organizações criminosas, uma armadilha para o criminoso incauto. Funciona lá fora, vai funcionar aqui", completou Sérgio Moro.

Redação O POVO Online