PUBLICIDADE
Política
RIO DE JANEIRO

Exército determina investigação de caso de músico morto após carro ser atingido por mais de 80 tiros

De acordo com a Polícia Civil, no carro atingido pelo Exército não havia nenhum criminoso e ninguém estava armado. O veículo foi atingido por mais de 80 disparos, segundo perícia realizada pela Polícia Civil

10:39 | 08/04/2019

O Comando Militar do Leste (CML) determinou a apuração do caso em que uma guarnição do Exército disparou contra um carro de passeio, matando uma pessoa e ferindo duas, nesse domingo, 7, em Guadalupe, na zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com o CML, a Delegacia de Polícia Judiciária Militar está investigando o caso, com a supervisão do Ministério Público Militar. Segundo a Polícia Civil, no carro atingido não havia nenhum criminoso e ninguém estava armado. O veículo foi atingido por mais de 80 disparos, segundo perícia realizada pela Polícia Civil. 

Em entrevista ao G1, o delegado Leonardo Salgado, da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, afirmou que "tudo indica" que os militares do Exército atiraram ao confundirem o carro com o de assaltantes.

As cinco pessoas que estavam no carro iam para um chá de bebê. O músico Evaldo Rosa dos Santos, 51, estava dirigindo e morreu no local. O sogro dele, que também estava no veículo, e um pedestre foram atingidos pelos disparos. Estavam no carro também a esposa de Evaldo, o filho deles de 7 anos e uma amiga da família.

Os militares envolvidos na ocorrência e todas as testemunhas civis foram ou serão ouvidas, segundo nota divulgada pelo CML.

O Comando Militar do Leste informou que os militares atiraram no carro porque sofreram "injusta agressão" por parte de criminosos, por volta das 14h40min. 

Agência Brasil