PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"O Brasil escolhe modelos pornô, palhaços e funkeiros", diz Dr. Rey após recusa de Bolsonaro

Em vídeo, Dr. Rey mostra desapontamento com o Brasil e diz estar pensando em aceitar convite para ser da Marinha americana

11:52 | 14/11/2018
NULL
NULL (Foto: )
[FOTO1]Após ir à residência do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) se oferecer para ser ministro da Saúde e ter o pedido negado, o cirurgião plástico Robert Rey, o Dr. Rey, desabafou sobre o fato em vídeo enviado ao jornal Extra. Ele lamentou a recusa e disse que gostaria de contribuir para o renascimento do Brasil das "cinzas da esquerda". 
 
O médico - nascido no Brasil, mas criado nos Estados Unidos - revelou seu desapontamento com o País. "Eu fiz o possível, me humilhei, fui lá, mas o Brasil não me quis. Eu fiz o máximo para participar dessa reconstrução do País, mas Brasil só escolhe palhaços", desabafou, comentando que "o Brasil escolhe modelos pornô, palhaços e funkeiros" para serem deputados.
 
[SAIBAMAIS]
 
Dr. Rey ainda comentou sobre patriotismo e afirmou que está pensando em aceitar convite da Marinha americana para ser cirurgião. "Se a nação natal não me quer, não tem problema, eu vou servir a nação que me adotou. A Marinha americana está me pedindo de joelhos há anos para eu entre como cirurgião. Eu irei com uma lágrima no meu olho porque eu queria ajudar no Brasil", disse. 
 
Propostas de Dr. Rey
 
Na última sexta-feira, 9, quando foi até o condomínio onde mora Bolsonaro, Robert Rey falou sobre suas eventuais propostas e ações como ministro da Saúde. Ele disse que o Sistema Único de Saúde (SUS) "é um crime contra a humanidade" e afirmou que "eventualmente fecharia o SUS". 
 
Outra projeto polêmico seria a criação de um plano de saúde privado para todos os brasileiros. "Fui criado lá fora, conheço o sistema de saúde do primeiro mundo. Eu sou da mídia, seria legal ter uma representação da mídia dentro desse governo", justificou. O cirurgião plástico deixou a casa do presidente eleito 15 minutos após ter chegado e não falou se foi atendido ou não. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS