Candidata à Presidência da OAB-CE, Roberta Vasques defende independência e apartidarismoNotícias de Política 

PUBLICIDADE
Notícias


Candidata à Presidência da OAB-CE, Roberta Vasques defende independência e apartidarismo

Ela falou sobre o rompimento com gestão atual, da qual é vice, e independência da ordem

12:14 | 06/11/2018
No dia 28 deste mês, acontece a votação que decidirá quem vai presidir a Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE). Durante esta semana, a Rádio O POVO/CBN realiza série de entrevistas com os candidatos e as candidatas ao cargo.
 
Roberta Vasques, da chapa Reage OAB, foi a primeira entrevistada, na manhã desta segunda-feira, 5. Ela falou sobre rompimento com gestão a atual, da qual é vice, e independência da entidade.
  
“A ordem tem comissões temáticas de diversas áreas que funcionam como um braço de interligação da sociedade com a Ordem. A OAB é voltada para a defesa das prerrogativas dos advogados, mas tem um papel social muito”, diz. Ela defende que a ordem seja apartidária, mas não apolítica, por ter que se posicionar diante dos assuntos de interesse público.
  
Roberta, que é vice na atual gestão, de Marcelo Mota Gurgel, conta que rompeu com o presidente. “Foram várias divergências durante a gestão. Eu entendo que a OAB tem que ser independente, mas a gestão foi omissa e esteve entranhada com poderes”, provocou. 
  
[SAIBAMAIS]Para exemplificar, Roberta alega que foi contra o aumento das custas judiciais, que são os gastos para uma pessoa tramitar um processo na Justiça. Segundo a advogada, a atual gestão da OAB não fez nada que pudesse ir de encontro a essa decisão.
  
Como presidente, a atual vice promete defender a prerrogativa dos advogados, investir na advocacia e ter “uma gestão mais moderna e profissional”. “Nós precisamos ouvir mais a sociedade. Diálogo é importante e a OAB precisa de posicionamento firme, sem parcialidade”, diz.    
  
Em relação à Operação Expresso 150, que investiga suposta venda de liminares envolvendo profissionais do Direito e magistrados nos plantões do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), a candidata promete acelerar as investigações internas. “Muitos colegas já foram punidos, mas o processo deve ser realizado sem atropelos, com contraditório e ampla defesa”, defende. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS