PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Prefeito propõe realizar celebração cristã no Réveillon da Beira Mar

Mensagem sugere transformar Capital em destino daqueles que buscam noite de comemoração ressaltando valores cristãos

14:30 | 17/10/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
 
[FOTO1]
O prefeito Roberto Cláudio (PDT) propõe realizar evento religioso na festa de Réveillon de Fortaleza promovida pela Prefeitura na avenida Beira Mar. A ideia de criar a Celebração da Virada foi oficializada em mensagem encaminhada à Câmara Municipal. A iniciativa tem como ponto de partida projeto de indicação apresentado pelo presidente da Câmara e deputado estadual recém-eleito, Salmito Filho (PDT).
 
O argumento para o projeto é de que os cristãos representam 89% da população da Capital. "Igrejas cristã têm contribuindo para a cultura de paz, ética e dos mais relevantes valores morais", complementa o texto da mensagem. A intenção é incluir a Cidade como destino turístico para aqueles que procurar "uma noite de comemoração de ano que ressalta os valores cristãos".

O PL adianta alguns detalhes de como funcionará o evento, se aprovado. Será na avenida Beira Mar, com cantores e bandas cristãs nacionais e internacionais. A festa começará por volta das 19 horas do dia 31 de dezembro e seguirá até as 6 horas do dia 1º de janeiro, com realização de uma celebração cristã. O evento poderá ser financiado tanto por recursos públicos quanto por parcerias do Município com a iniciativa privada, o Estado e a União.
 
No artigo 1º da legislação apresentada à Câmara, o prefeito explicou que a celebração cristã a céu aberto ocorrerá como parte do Réveillon. Contudo, não esclarece se haverá comemoração além da de cunho religioso.
 
Réveillon de Fortaleza
 
A tradicional festa na Beira Mar começou a atrair multidões desde 2005, ainda no primeiro mandato da ex-prefeita Luizianne Lins (PT). À época, cerca de 150 mil pessoas foram à orla assistir a virada do ano. Ao longo das gestões da petista, ela investiu na festa, atraindo mais espectadores, chegando a ter atrações como Caetano Veloso e Ivete Sangalo. Houve polêmicas e investigações do Ministério Público em diversas ocasiões. Na virada de 2012 para 2013, o Réveillon virou centro de discussão política. Derrotada das urnas, a ex-prefeita se recusou a promover o espetáculo a 12 dias da virada do ano.
 
A petista alegava que sua gestão seria encerrada durante a festa. Cid Gomes (PDT), à época, governador do Estado pelo PSB, assumiu o compromisso de produzir o evento. Paralelamente, PT e PSB vivam tensões política, com troca de críticas entre os dois governantes. Já durante o mandato municipal atual, o Réveillon passou a receber também financiamento privado para a realização
 
Em 2018, a Prefeitura contabilizou 1,3 milhão de pessoas na festa. Foram 12 horas de apresentações, 18 minutos de show pirotécnico e 1,3 milhão de pessoas no Aterro da Praia de Iracema. No Réveillon 2017, o Município contabilizou público de 1 milhão. A festa cresceu em público e a queima de fogos se tornou a maior do País. O início de 2018 foi celebrado junto artistas como Luan Santana, DJ Alok, Wesley Safadão, Xand Avião, Simone & Simaria e Capital Inicial foram as principais atrações.
 
O POVO Online ligou para o vereador Esio Feitosa, líder do Governo na Câmara, mas as chamadas não foram atendidas. A reportagem também pediu esclarecimentos sobre a proposta à assessoria de imprensa do prefeito Roberto Cláudio e aguarda resposta.
TAGS