PUBLICIDADE
Política
Crime racial

Nordestinos são alvo de preconceito após resultado do 1º turno das eleições; prática é crime

A maior parte das mensagens preconceituosas partiu de eleitores do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que não conseguiu ter uma votação expressiva na região

10:00 | 08/10/2018
Bolsonaro liderou na maioria dos Estados e perdeu no Nordeste. (Foto: O POVO)
Após o resultado do 1º turno das eleições deste domingo, 7, nordestinos foram atacados nas redes sociais. A maior parte das mensagens preconceituosas partiu de pessoas que se declaram eleitores de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL não conseguiu puxar uma votação expressiva na região.
 
A prática é crime, de acordo com a Lei do Crime Racial, e pode resultar em pena de dois a cinco anos de prisão em regime fechado, além de multa. 
  
 
 
"Agora vocês entenderam porquê mando chuva pra todo mundo menos pro nordeste?", postou um internauta junto a uma foto de Jesus. Outros chamaram os moradores da região de "burros" e "alienados". "Não é a toa que vivem de grandes secas e fome, fora o calor absurdo, tudo castigo de Deus".
 
Posts preconceituosos tomaram as redes sociais (Foto: reprodução/ Facebook)
O Nordeste foi a única região do País em que Bolsonaro não ganhou e o lugar onde as bancadas do Senado foram renovadas, como por exemplo no Ceará, onde Eunício Oliveira (MDB) não conseguiu a reeleição e ficou de fora após oito anos de mandato. 
 
Flavio Bolsonaro, filho do presidenciável e agora eleito senador pelo Rio de Janeiro, agradeceu o Nordeste pela votação. 
 
 
Na contramão, nordestinos responderam aos ataques e comemoram "pequenas vitórias" conseguidas nas eleições. "Brasileiro é tudo burro ainda bem que eu sou do nordeste", brincou uma usuária do Twitter. "Continuamos firmes porque nós sim, somos amor e luta. Nós não deitamos pra fascismo. O Nordeste é resistência".
 
 
 
Algumas artes relacionadas à hashtag #EleNão surgiram na "versão Nordeste". O mapa da região pintado de vermelho (cor do candidato Fernando Haddad) com os dizeres "#aquinão" foi compartilhado nas redes sociais. Outra imagem mostra a frase "O Nordeste é maior do que qualquer preconceito!" dentro de um mapa da região.
 
 
Crime racial
De acordo com a lei 7.716, criada em 1989, ações preconceituosas como essas pós-eleições são consideradas crime racial. A legislação determina pena de reclusão em regime fechado e multa. A determinação contempla atos de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religão ou procedência nacional.
 
A sanção tornou o crime inafiançável e imprescritível. Para denunciar, além de comparecer às sedes físicas de delegacias e registrar Boletim de Ocorrência, é possível fazer denúnica no site do Ministério Público Federal (MPF) e na plataforma que investiga crimes cibernéticos e violações contra os direitos humanos, a SaferNet. 
 
Dia do Nordestino
Os ataques - e as publicações de orgulho de ser do Nordeste - acontecem justamente no chamado Dia do Nordestino. "Hoje, 8 de outubro, Dia do Nordestino. Se eu já tinha orgulho do meu povo antes, hoje ele só aumenta. Reduto de gente determinada, acolhedora, forte e que merece muito mais do Brasil que um presidente que não sabe fazer um 'O' com uma quenga. Parabéns, meu Nordeste", comentou uma internauta. 
 
 
Veja algumas publicações de cunho preconceituoso que circularam a internet:
 
 
 
 

MATHEUS FACUNDO