PUBLICIDADE
Política
PLANOS DE GOVERNO

Conheça as propostas de Bolsonaro e de Haddad para a Educação

Bolsonaro defende por diversas vezes uma escola "sem doutrinação". As propostas de Haddad englobam da creche ao ensino superior, com projetos voltados ao incentivo à pesquisa

15:34 | 22/10/2018
(Fotos: AFP)
A Educação é citada tanto por Jair Bolsonaro (PSL) quanto por Fernando Haddad (PT) como uma questão de prioridade em um possível governo. As propostas dos dois, porém, têm focos diferentes. Enquanto o presidenciável do PSL defende uma “não doutrinação” no ensino e cita educação a distância como uma alternativa a áreas rurais, Haddad aposta na melhoria das escolas em “regiões de alta vulnerabilidade”.
 
Na reta final das eleições 2018, a menos de uma semana do segundo turno, no próximo domingo, 28, O POVO Online prepara uma série de matérias mostrando as propostas dos presidenciáveis que concorrem ao maior cargo governamental do País, a fim de ajudar os eleitores na decisão nas urnas. Foram analisadas as 61 páginas do plano de governo de Haddad e as 81 de Bolsonaro e separadas as ideias de cada candidato de acordo com área.
 
Até as eleições, serão publicadas sete matérias com propostas para as áreas de Educação; saúde; Segurança pública; Assistência social, Saneamento básico e iIgualdade social; Combate à corrupção; Economia e Geração de trabalho; e Meio ambiente. Alguns aspectos não foram tratados nos planos de governo dos dois candidatos, mas foram citados em entrevistas ou declarações durante a campanha. As propostas para a Cultura foram tema de reportagem do Vida&Arte.
 
Com relação à Educação, Bolsonaro diz que dará “um salto de qualidade na educação com ênfase na infantil, básica e técnica, sem doutrinar”, citando também incentivo ao empreendedorismo. Haddad traz propostas para a Educação desde as creches ao ensino superior, tendo projetos voltados para incentivo à pesquisa acadêmica e desenvolvimento tecnológico.
 
Confira as propostas:
 
Bolsonaro
- “Dar um salto de qualidade na educação com ênfase na infantil, básica e técnica, sem doutrinar”.
- Ter, em dois anos, um colégio militar em todas as capitais do País
- Mudar conteúdo e métodos de ensino. “Mais matemática, ciências e português, SEM DOUTRINAÇÃO E SEXUALIZAÇÃO PRECOCE”.
- Dar prioridade à educação básica e ao ensino médio/técnico. “Quanto antes nossas crianças aprenderem a gostar de estudar, maior será seu sucesso”.
- Fomentar o empreendedorismo “para que o jovem saia da faculdade pensando em abrir uma empresa”
- Utilizar a educação a distância como “alternativa para as áreas rurais onde as grandes distâncias dificultam ou impedem aulas presenciais”
 
Haddad
- Melhorar ensino em escolas de regiões de alta vulnerabilidade.
- Criar um programa de permanência na escola para jovens em situação de pobreza, a fim de combater a evasão e elevar o rendimento escolar.
- Investir em forte atuação na formação dos educadores e na gestão pedagógica da educação básica, na reformulação do ensino médio e na expansão da educação integral.
- Concretizar as metas do Plano Nacional de Educação (PNE), em articulação com os planos estaduais e municipais de educação.
- Institucionalizar o Sistema Nacional de Educação, instituindo instâncias de negociação interfederativa; criação de política de apoio à melhoria da qualidade da gestão em todos os níveis e aperfeiçoamento do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb)
- Criar um novo padrão de financiamento, visando progressivamente investir 10% do PIB em educação, conforme a meta 20 do PNE; implementação do Custo-Aluno-Qualidade (QAQ) e institucionalização do novo Fundeb, de caráter permanente, com aumento da complementação da União; retomada dos recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social do Pré-Sal;
- Fortalecer a gestão democrática, retomando o diálogo com a sociedade na gestão das políticas bem como na gestão das instituições escolares de todos os níveis.
- Investir no ensino superior e ampliar os investimentos em ciência, tecnologia e inovação.
- Remontar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).
- Recompor e ampliar o Sistema Nacional de Fomento de CT&I.
- Recriar o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).
- Criar o Plano Nacional de Juventude e Sucessão Rural, voltado para a educação no campo.
 
Redação O POVO Online