PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Cabo Daciolo diz que pessoas próximas a Bolsonaro estão envolvidas com Illuminati

Em transmissão via Facebook, o deputado afirmou que assessores de Jair Bolsonaro estão envolvidos com maçonaria e Illuminati

12:17 | 16/09/2018
NULL
NULL (Foto: )

Durante transmissão ao vivo na última quarta-feira, 12, o candidato à Presidência da República Cabo Daciolo (Patriota) criticou mudanças de posicionamento de Jair Bolsonaro (PSL) após seu envolvimento com o economista Paulo Guedes. Recolhido em um monte no Rio de Janeiro, onde está em jejum há uma semana, Daciolo ainda afirmou que o candidato do PSL estaria envolvido com maçonaria e os Illuminati, fazendo menção ao ataque sofrido por Bolsonaro no último dia 6 de setembro.

 

Veja o vídeo. Ele fala sobre Bolsonaro após os 12 minutos: 

[VIDEO1] 

Declarando respeito a Bolsonaro, apesar da diferença de posicionamentos entre ambos, Daciolo afirmou que “ele é um dos poucos parlamentares com quem conversa no parlamento”. Para o candidato, no entanto, “o problema é com quem Bolsonaro passou a andar”. Daciolo, que acredita que as famílias americanas Rockefeller e Rothschild fazem parte da chamada “Nova Ordem Mundial”, criticou Paulo Guedes e General Mourão, este último candidato a vice-presidente na chapa do PSL. “Mourão é um maçom declarado, por isso me preocupo e oro pelo irmão Bolsonaro. O povo tá morrendo, sofrendo, porque a maçonaria prega o que está oculto”, completou.

 

[SAIBAMAIS]Durante a transmissão via Facebook, ele ainda afirmou que a aproximação com Paulo Guedes é uma má influência para o deputado federal. Segundo ele, Paulo teria levado Bolsonaro para conversar com família Rockefeller nos EUA e com a Família Marinho no dia anterior ao ataque sofrido em Juiz de Fora, em Minas Gerais. “As pessoas perto do irmão Bolsonaro estão envolvidas em nova ordem mundial e com os Illuminati. Estão pressionando ele, sugando ele”.

 

Daciolo diz que os candidatos estão divididos em blocos. Bolsonaro, Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles e Álvaro Dias (Podemos) estão do lado dos Estados Unidos, enquanto Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (Psol) e Marina Silva (Rede) são do lado da China.

 

Além disso, Cabo Daciolo diz ainda que acredita que ganhará a eleição no primeiro turno, apesar de as urnas eletrônicas serem fraudulentas. 

 

Redação O POVO online 

TAGS