Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

"Não aceito resultado diferente da minha eleição", declara Bolsonaro

Ainda hospitalizado, o presidenciável informou que sofreu uma "facada profissional". Bolsonaro também prometeu voltar a fazer campanha na rua, mas "não tão exposto"
20:39 | Set. 28, 2018
Autor Wanderson Trindade
Foto do autor
Wanderson Trindade Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]
Candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro disse não aceitar resultado das eleições que não seja a sua vitória. Em entrevista para a TV Bandeirantes na tarde desta sexta-feira, 28, o militar afirmou que pretende voltar a fazer campanha na rua, porém “com mais segurança”. 
  
Pelo que vejo nas ruas, não aceito resultado diferente da minha eleição", disse o candidato, referindo-se ao apoio recebido por seus eleitores e à sua desconfiança quanto as urnas eleitorais. “Não temos como auditar o resultado, então o grande problema das eleições é a falta do voto impresso. A suspeição vai estar no ar, esse é o grande problema que teremos pela frente”, afirmou.
  
O candidato declarou seus planos é de voltar a fazer campanha de rua. “Mas um pouco afastado. Não tão exposto quanto eu estava”, disse, informando que a medida servirá para evitar complicações em sua recuperação. “Não é pela possibilidade de uma ação física contra mim, mas para algum fã que venha me abraçar. Posso ter problemas em cima da cirurgia”, projetou.
[SAIBAMAIS]  
Líder das pesquisas eleitorais, ele explicou que o tratamento a base de medicação acabará na próxima quarta-feira, 3, portanto, sua recuperação também não afetará presença em debates. “Eu acho que estou em condições. Então, vou participar de debates, sim”, anunciou, mostrando-se confiante para retomada da campanha.
  
“Quando fui submetido a uma nova cirurgia, o meu mundo desabou em mim novamente. Daí pensei: ‘Vou ter que sair dessa e quero disputar as eleições’. Agora estou voltando com muito mais gás do que quando eu comecei”, apontou o candidato.
   
Relembrando do ataque sofrido no dia 6 deste mês, o candidato narrou que Adélio Bispo, autor do golpe, efetuou uma “facada profissional”. “Ele cravou e rodou. Por milagre estou vivo. Por centímetros eu deixei de ser atingido em parte vital”, rememorou ainda no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado desde o dia 7 de setembro, mas sem data para alta médica.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags