Anna Karina diz ser favorável à legalização da maconha e descriminalização do abortoNotícias de Política 

PUBLICIDADE
Notícias


Anna Karina diz ser favorável à legalização da maconha e descriminalização do aborto

A candidata ao Senado Federal do Psol participou do programa Live Política no Facebook do O POVO Online

23:10 | 05/09/2018
NULL
NULL
[FOTO1] A candidata ao Senado Federal Anna Karina (Psol), em entrevista à Live Política veiculada no Facebook do O POVO Online, mostrou-se favorável à legalização da maconha. A professora da rede estadual de ensino ainda defende a descriminalização do aborto.
 
[SAIBAMAIS] Para Anna Karina, a legalização do aborto é uma forma de “preservar a vida das mulheres”, que acabam morrendo durante o processo ilegal, em sua maioria pobres, da periferia.
 
A candidata ressalta que países onde a prática é permitida houve redução no número de casos. Como exemplo, ela cita Portugal, que desde de 2007 permite a interrupção da gravidez até a décima semana. “Antes, em média, aconteciam mais de 100 mil abortos por ano. Após a legalização, o número diminuiu para 18 mil”, ressaltou a candidata, acrescentando que os contrários à prática deveriam mudar de ideia.
 
Sobre a legalização da maconha, a professora diz que é preciso “pegar exemplo” de países que já avançaram nesse sentido. De acorodo com Karina, em 2016, 52% dos jovens que foram presos no Rio de Janeiro estavam com menos de 60 gramas de maconha. Ela ressaltou que a Polícia está prendendo o usuário em vez dos traficantes.
 
A candidata alerta que é preciso atuar de forma séria contra o tráfico de drogas, ou o País ficará nessa “corrida do cachorro atrás do rabo”, sem chegar a lugar nenhum.
 
Feminismo
 
A candidata rebateu as críticas da deputada Dra. Silvana (PR), que acusou o feminismo de “ameaça à sociedade”, por defender “bandeiras podres”, como aborto e ideologia de gênero.
 
Anna Karina defende que a pauta feminista é legítima, por defender igualdade de gênero, em um um País onde, segundo ela, 135 mulheres são estupradas por dia. “Nós defendemos a igualdade, que possamos trabalhar igual e ter o mesmo salário que o homem, ter a liberdade de andar tranquilamente na rua sem ser assediada”, complementa a professora.
 
Assista Live com Anna Karina
 
[VIDEO1] 
TAGS