PUBLICIDADE
Notícias

Vereador de Sobral é alvo de ação do MP após ser acusado de reter salário de assessores

Segundo o promotor de justiça, Irapuan da Silva Dionízio Júnior, o político aproveitava o cargo para coagir os servidores a lhe darem maior parte de seus salários a ele

17:13 | 20/07/2018
A 2ª Promotoria de Justiça Auxiliar de Sobral ingressou com Ação Civil Pública contra o vereador de Sobral, Francisco Ivonilton Camilo Cavalcante (PRTB). Conforme a Promotoria de Justiça, Camilo Motos, como é chamado, recolhia parte do salário de seus assessores parlamentares em benefício próprio. Foi solicitada, conforme o Ministério Público do Ceará (MP-CE), bloqueio de salário e indisponibilidade de bens do vereador.
 
[SAIBAMAIS] 
 
Um dos assessores disse à Justiça que o esquema, chamado de "rachadinha", funcionava da seguinte maneira: o salário líquido, R$ 3,5 mil, era dado ao vereador. O assessor ficava com apenas R$ 1 mil do valor. O depoente teria sido expulso do emprego após ter se recusado a repassar o vale-alimentação.
 
Segundo o promotor de justiça, Irapuan da Silva Dionízio Júnior, o político aproveitava o cargo para coagir os servidores a lhe darem o valor. Ele ameaçava os assessores com a demissão da Câmara Municipal, caso não acatassem seu pedido.   
 
Deste modo, segundo Silva, foram reunidas provas suficientes para justificar a ação. Para ele não restam dúvidas sobre o motivação do vereador de ficar com parte dos vencimentos dos servidores.
 
A reportagem tentou contato com a Câmara Municipal de Sobral para localizá-lo, mas as ligações não foram atendidas. Foi enviada, então, mensagem via rede social, que até o fechamento desta matéria não foi respondida. 
Redação O POVO Online 
TAGS