PUBLICIDADE
Notícias

Pronta para uma nova disputa eleitoral: saiba por onde anda Déborah Soft

Eleita no pleito municipal de 2004 com 11.590 votos válidos pelo Partido Trabalhista Nacional (PTN), ela chega para a sua quinta eleição. Neste ano, ela concorre ao cargo de deputada federal pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN)

16:23 | 24/07/2018
NULL
NULL
[FOTO2]
Há cerca de 14 anos, começava o mandato de vereadora de Edviânia Matias Goes, mais conhecida como Déborah Soft. Eleita pelo Partido Trabalhista Nacional (PTN) no pleito municipal de 2004, com 11.590 votos válidos, ela chega para a sua quinta campanha. Neste ano, a ex-stripper concorrerá ao cargo de deputada federal pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN).
 
 
Fora da "vida da noite" há muitos anos, a pernambucana de 35 anos hoje vive em seu Estado natal, tirando sua renda do aluguel de alguns imóveis que possui. Depois do "boom" político no começo do século, Déborah não quis tentar a reeleição em 2008. "Queria curtir mais meu filho (nascido em 2007). Estava num momento família e a política expõe muito a nossa vida.", conta ao O POVO Online.
 
 
Embora tenha se afastado por um breve período, ela vê a sua eleição como um grande marco em sua vida. "Foi muito gratificante. Eu saí do nada, minha família era muito pobre e vivia no Quintino Cunha. Chegar a ser vereadora da Capital é um orgulho que levo para o resto da vida", comenta. 

 
[FOTO1]

 
Mas a vida política acabou não parando no primeiro mandato, apesar do momento para aproveitar os familiares. Ela voltou à disputa política nas eleições municipais de 2012, tentando repetir o feito anterior, mas acabou recebendo apenas 365 votos para vereadora, filiada ao Partido Social Cristão (PSC). Neste período, emplacou mais um bordão: "Déborah Soft, a Danada". Ela também voltou a utilizar o slogan "vote com prazer".


 
Em 2014, foi a vez de concorrer ao cargo deputada estadual pelo PTN. Ela conseguiu 41 votos. Já em 2016, tentando novamente ser vereadora, teve sua candidatura indeferida, embora plataforma do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contabilize oito votos para Soft.


 
"Sempre participei da política mesmo de forma indireta, e nunca voltei a fazer shows de stripp. Essa época passou pra mim. Hoje eu procuro estudar e aprender coisas novas, oportunidade que não tive quando era mais nova", confessa Déborah. 


 
Uma das mais recentes empreitadas de Déborah Soft foi ter sido escolhida para trabalhar junto ao ex-vereador Wellington Saboia, em 2016, quando ela era presidente do PSC e secretário da Regional IV. Ela atuava no setor de fiscalização. Hoje nem Saboia e nem Soft trabalham lá. 
 

 
A ex-vereadora chegou a atacar de cantora e lançou uma música com Mc Xandinho chamada "Raga Lôra":
 
[VIDEO1] 

Polêmicas

 
[FOTO3]

 
Por conta de sua antiga profissão como stripper e dançarina, a pernambucana atraía muita atenção, por vezes negativa. Ela relata que quando começou a trabalhar na Regional IV foi alvo de preconceito. "Algumas pessoas criticaram muito o Wellington, mas uma das grandes virtudes dele é ter gratidão. Ele disse: 'eu estive com você como assessor quando você era vereadora, eu conheço e acredito em você'", afirmou.


 
Em 2005, a então vereadora chegou a ser acusada de não repassar verbas do seu gabinete, mas a Câmara Municipal decidiu não seguir em frente com o processo por falta de provas. Na época, boatos circulavam de que ela ficava com os cheques dos salários dos assessores. Carta anônima e material pornográfico de Soft chegaram a rodar pela Câmara.


 
Acima de todas as polêmicas e percalços da vida política, Déborah afirma ao O POVO Online que espera ser eleita deputada federal nas eleições 2018 para fazer "algo mais efetivo". Ela pontua que a legislação municipal é muito limitada no que concerne aos direitos trabalhistas.


 
A pernambucana ainda reafirma um desejo que publicizou em entrevista há alguns anos: ajudar pessoas que trabalham "na noite" como dançarinas e prostitutas, além da comunidade LGBT. Na campanha de 2012, ela chegou a pregar "uma eleição sem preconceito". "É uma área muito sofrida, trabalhar na noite. Você passa por alguns problemas desde a sua segurança e até sua própria saúde", finaliza. 

TAGS