PUBLICIDADE
Notícias

Eleições: descubra por quantos partidos Ciro Gomes passou até a pré-candidatura à Presidência

09:55 | 06/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Ciro Ferreira Gomes iniciou a carreira política em 1982 como candidato à deputado estadual pelo PDS, mesmo partido de seu pai José Euclides Ferreira Gomes Jr., sendo o mais votado na cidade de Sobral com aproximadamente 11.600 votos.
 

 
Após eleito, em 1983, filiou-se ao PMDB e se destacou durante o mandato, chamando a atenção do então presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), Tasso Jereissati. Na eleição de 1986, Ciro apoiou o nome de Tasso ao Governo do Estado. No PMDB, Ciro ainda foi eleito prefeito de Fortaleza, em 1988, cargo no qual permaneceu por um ano e três meses.
  
Durante o período como prefeito da Capital, Ciro filiou-se ao recém criado PSDB, junto de seu aliado e padrinho político Tasso Jereissati. Em 1990, o Ferreira Gomes teve a maior vitória de sua carreira política, sendo eleito governador do Ceará no primeiro turno, com 56% dos votos válidos. Pelo PSDB, ainda foi ministro da Fazenda no governo de Itamar Franco.
 
 
Deixou o partido somente em setembro de 1997, após incompatibilidades com o presidente Fernando Henrique Cardoso, o que causou indisposição com o partido a quem acusou estar "rendido" às deficiências, incoerências e fisiologismo do então chefe do executivo, segundo o jornal Folha de S. Paulo. Filiou-se então ao PPS, tendo disputado pela sigla duas eleições presidenciais. Em 1998, Ciro ficou em terceiro lugar, com 7,4 milhões de votos (10,9%). Em 2002, conseguiu mais votos, porém, ficou em quarto lugar, com 10,1 milhões de votos (11,9%).
  
Em 2003, foi convidado por Lula para ser o ministro da Integração Nacional, onde permaneceu até 2006, quando renunciou para concorrer a uma vaga na Câmara Federal pelo PSB, partido no qual se filiou em junho de 2005, após romper com o então presidente do PPS, Roberto Freire. Ciro saiu do PSB após o partido deixar a base aliada de Dilma e anunciar Eduardo Campos como pré-candidato à Presidência, em 2013, o que desagradou o ex-governador do Estado, que esperava que seu nome fosse o escolhido. Assim, deixou o partido rumo ao recém criado Pros.
  
Hoje, Ciro Gomes é pré-candidato à Presidência pelo PDT, partido que se filiou em 2015. A sigla fundada por Leonel Brizola é o sétimo partido do político de Sobral.
 
TAGS