PUBLICIDADE
Notícias

Artigo: 200 anos de Marx - o legado e a atualidade de seu pensamento

Antônio Lima Júnior, membro do Comitê Regional do Partido Comunista Brasileiro (PCB), fala sobre o bicentenário de Karl Marx

20:17 | 04/05/2018
Nascido em 5 de maio de 1818, Karl Marx completaria 200 anos se vivo fosse. Curiosamente, sua contribuição para o mundo ainda vive, permanecendo como referência para o movimento operário. Junto com Friedrich Engels, fundaram o socialismo científico, que ficou conhecido pela alcunha do criador: marxismo. Combateram as ideias dos socialistas utópicos, demarcando a necessidade de organizar os trabalhadores para a ruptura com o capitalismo e a construção de um novo mundo, o comunismo. 
 
[SAIBAMAIS]
Para isso, o marxismo compreende o processo de transição, a sociedade socialista, onde o Estado é tomado pelo povo e desintegrado conforme o avanço da organização social rumo ao comunismo. Essa tarefa só pode ser guiada pelas organizações revolucionárias e Marx contribuiu para o embrião daquilo que foi a Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), posteriormente conhecida como a Primeira Internacional. 

 
Na AIT, acompanhou de perto a experiência da Comuna de Paris, onde os trabalhadores, pela primeira vez na história, "tomaram o céu de assalto". Criticou as posições incoerentes de setores como os blanquistas e anarquistas. Marx foi, durante toda a vida, um desafiador, ao defender suas posições de forma convicta. Na juventude, começou a construir seu legado nas formulações de obras importantes para a filosofia contemporânea, como A ideologia alemã, A miséria da filosofia e as Teses sobre Feuerbach. Não há como compreender o capitalismo hoje sem estudar obras como O capital, obra-prima de Marx, ou os Manuscritos econômicos e filosóficos.

 
[QUOTE1]Seu legado hoje também repercute na organização de partidos e movimentos sociais. Sem a obra de Marx, experiências do século XX como a Revolução Bolchevique de 1917 e a Cubana em 1959 jamais ocorreriam. Obras como Crítica ao programa de Gotha e o clássico Manifesto do Partido Comunista são essenciais para compreender a organização do proletariado ainda hoje, apontando o rumo da revolução e da consciência de classe. Talvez ainda soframos as consequências de uma leitura equivocada ou rasa das obras de Marx para a organização dos trabalhadores. Os ataques que sofremos hoje, numa conjuntura recuada, onde pouco se avança, mostram isso. 
 
 
Suas formulações, jamais descoladas da atuação na realidade concreta, lhe renderam como consequência uma vida instável, de perseguições, pobreza e exílio. Casou-se com Jenny von Westphalen e teve sete filhos, dos quais apenas três conseguiram atingir a idade adulta. O amor de Marx e Jenny superou todas as penalidades de uma vida dedicada à causa do proletariado. A depressão após a morte de Jenny foi um dos fatores que causaram a morte de Marx dois anos depois, onde já velho, ainda lutava pela criação do comunismo, por uma sociedade mais justa e livre dos grilhões que ainda hoje amarram os trabalhadores de todo o mundo. 

 
[QUOTE2]Falar sobre Marx hoje é falar sobre a história do movimento operário e sua continuidade. Cada trabalhador que vai às ruas lutar por seus direitos ou segura uma bandeira de luta está reivindicando o legado começado por Marx. Que seus 200 anos de vida sejam comemorados com o lema principal de sua obra: trabalhadores de todo o mundo, uni-vos!
 
Antônio Lima Júnior
Jornalista e membro do Comitê Regional do Partido Comunista Brasileiro (PCB)


SERVIÇO

Evento: O pensamento de Marx para a luta da classe trabalhadora 
Palestra com os professores Fábio Sobral (UFC) e Carol Magalhães (ICP)
Sábado (5 de maio) às 10 hotas, no Espaço Cultural Camaradas (Av. da Universidade, 2269)
Realização: Instituto Caio Prado Jr, Partido Comunista Brasileiro, União da Juventude Comunista e jornal O Poder Popular
TAGS