PUBLICIDADE
Notícias

Comissão da Câmara cobra averiguação de denúncia de tentativa de ataque a aeronave com Lula

23:40 | 10/04/2018
NULL
NULL
[FOTO1]No último sábado, 7, dia da prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, manifestantes contrários ao ex-presidente soltaram rojões para cima muito próximos ao helicóptero que trazia o petista até a sede da Polícia Federal em Curitiba. Conforme denúncia recebida pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, a Polícia Federal (PF) teria se omitido em relação à ação.
 
Em nota pública, a CDHM divulgou que o presidente da comissão, o deputado Paulão (PT-AL), irá até Curitiba para pressionar autoridades para garantir a segurança de manifestações em defesa de Lula. No sábado, militantes favoráveis ao ex-presidente sofreram “ataques de policiais federais”, de acordo a denúncia.
 
Ainda segundo a nota, a justificativa da agressão iniciada pela PF seria uma tentativa de forçar o portão por parte de manifestantes em defesa de Lula. Contradizendo a versão dos policiais federais, o tenente-coronel Mário Henrique do Carmo, comandante do batalhão da Polícia Militar do Paraná responsável pelo policiamento no local, afirmou em coletiva não crer que houve alguma tentativa de invasão.
 
Segundo o tenente-coronel, os dois grupos de manifestantes estavam bem separados até o momento do pouso da aeronave que transportava Lula, seu advogado e a presidenta do Partido dos Trabalhadores, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). Então, após duas explosões de bombas no chão, houve princípio de tumulto, e a PF agiu juntamente com a PM para dispersar os grupos.
 
Por meio de sua assessoria, a PF informou desconhecer a tentativa dos manifestantes contrários ao ex-presidente em atacar o helicóptero. Afirmou, ainda, que está apurando o caso.
Redação O POVO Online
TAGS