PUBLICIDADE
Notícias

TRE assegura mandato de Osmar Baquit

Deputado estadual foi expulso sumariamente do partido em junho deste ano

21:04 | 13/12/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Atualizada à 00h40min

O deputado estadual Osmar Baquit (sem partido) está com o mandato assegurado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE). Os magistrados decidiram, por unanimidade, que a ação de perda de cargo eletivo por desfiliação partidária impetrado pelo Diretório Estadual do Partido Social Democrático (PSD) é improcedente.

De acordo com a decisão proferida pelo TRE, o PSD não tem direito ao mandato parlamentar do deputado. Com a decisão, ele está livre para se filiar a qualquer partido político.

Após a conclusão do julgamento, o advogado André Costa, defensor de Baquit, comentou que "tanto a Justiça Comum como a Justiça Eleitoral, seja por meio de decisões liminares, seja por decisões judiciais definitivas, reconheceram a eficácia  dos direitos constitucionais fundamentais nas relações privadas, a evidente ilegalidade dos atos do PSD e os direitos do deputado Osmar Baquit que teve o seu direito de defesa completamente desrespeitados."

Expulsão sumária

Em junho deste ano, o PSD nacional decidiu pela expulsão sumária do deputado alegando infidelidade partidária. A deliberação atendeu representação ingressada pelo Diretório Estadual do PSD-CE, presidido pelo deputado federal Domingos Neto, sob alegação de infidelidade partidária. A representação acusava Baquit de atuar “politicamente em desobediência" ao Partido no caso da extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

[SAIBAMAIS]

Os psdbistas também apontaram que ele estaria manifestando apoio político a ideais vinculados a partidos opositores. À época, o deputado afirmou que não teve direito a defesa e a decisão foi uma "manobra infantil, inconsequente e ilegal".

O parlamentar criticou também de não ter sido notificado da deliberação do PSD nacional, a quem acusou de ter agido juntamente com o Diretório Estadual como uma "ditadura". "Um vagabundo qualquer tem direito à audiência. Teria que ser chamado, ouvido. A partir da minha defesa é que se pode avançar, não é uma ditadura. Não houve processo de abertura, como posso ser expulso? Todo mundo tem direito a defesa", disse.

O POVO tentou falar com o deputado Osmar Baquit (PSD), mas as ligações não foram atendidas.

Redação O POVO Online

TAGS