PUBLICIDADE
Política
DEPUTADO PALHAÇO

Em 1º e último discurso na Câmara, Tiririca diz sair "envergonhado"

O deputado disse que deixa o parlamento "totalmente envergonhado" e cobrou que colegas "olhem mais" pela população carente do Brasil

15:09 | 06/12/2017

Tiririca faz desabafo com várias críticas a colegas, mas assessoria nega renúncia (Reprodução/TV Câmara)
 

O deputado Tiririca (PR-SP) subiu à tribuna da Câmara nesta quarta-feira, 6, e anunciou que não voltará a disputar eleições. No primeiro discurso desde sua primeira vitória nas urnas, em 2010, o deputado disse que deixa o parlamento “totalmente envergonhado” e cobrou que colegas “olhem mais” pela população carente do Brasil.

“Subo nesta tribuna pela primeira vez e pela última vez, não por morte, [mas] porque estou abandonando a vida pública”, disse o deputado. Na fala, Tiririca não deixa claro se estava anunciando ou não uma renuncia ao cargo. A assessoria de imprensa do deputado, no entanto, afirma que ele irá concluir mandato até o final de 2018, mas não disputará reeleição.

“É triste e o que vi nesses sete anos, saio totalmente com vergonha, não vou generalizar, não são todos, tem gente boa como em qualquer profissão”, disse. “O que eu peço, como povo mesmo, é que vocês olhem mais para o nosso país. Vamos esquecer um pouco nossas brigas, nosso ego, e olhar mais para o nosso povo. O nosso povo que necessita de saúde”, diz.

"Fiz pouco" 

O humorista cearense, eleito deputado por São Paulo, admite que “fez pouco” em sete anos, mas que “fez o que foi eleito para fazer”. Ele destacou ainda que foi um dos parlamentares mais assíduos em sessões da Câmara, e que sempre apresentou emendas não por interesses eleitorais, mas pelo que analisava melhor para a população.

Ele afirmou que, após o segundo mandato, percebeu que "não dá para fazer muita coisa". "Costumo dizer que parlamentar trabalha muito e produz pouco", disse, elencando "mordomias" que parlamentares têm direito, como um salário líquido de R$ 23 mil. Ele afirmou ainda que esteve recentemente no Ceará, onde internou a mãe em um hospital público. 

Redação O POVO Online
TAGS