PUBLICIDADE
Notícias

Em carta, Danilo Forte pede desfiliação do PSB e denuncia atos de perseguição

No documento de três páginas, endereçado ao presidente do PSB, Carlos Siqueira, o parlamentar cearense descreve os motivos pelos quais resolveu deixar o partido

23:56 | 24/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

O deputado federal Danilo Forte enviou na última sexta-feira, 20, uma carta ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), em que pede a desfiliação da legenda. No documento de três páginas, endereçado ao presidente do PSB, Carlos Siqueira, o parlamentar cearense descreve os motivos pelos quais resolveu deixar o partido.

"O que se observa no PSB é uma série de atos de perseguições, retaliações e ameaças de expulsão a parlamentares por motivos distantes dos ideais do Partido e realizados no arrepio da lei brasileira, do estatuto e do regimento da agremiação (...) Não se faz possível compactuar com as decisões discricionárias e tiranas tomadas pela direção do partido, as quais somente têm contribuído para aumentar a desarmonia e as desavenças entre parte da bancada e o comando partidário, criando assim uma situação insustentável de convivência no partido", afirma Forte.

De acordo com o deputado, o partido passou por momentos difíceis após a perda de Eduardo Campos, o que atrapalhou os projetos que estavam em andamento.

Filiação ao PSB

Conforme assessoria de imprensa, a convite de Carlos Siqueira, Danilo Forte ingressou no PSB em 11 setembro de 2015, com uma filiação endossada por nomes tradicionais da legenda a exemplo do Governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do Vice-governador de São Paulo, Márcio França, do Prefeito de Recife, Geraldo Júlio e do deputado federal Tadeu Alencar. Enquanto presidente da agremiação no Estado do Ceará celebrou conquistas significantes como a eleição de dois prefeitos, seis vice-prefeitos, 58 vereadores, a implantação de 148 diretórios municipais e a filiação de mais de 5 mil cearenses.

Redação O POVO Online

TAGS