PUBLICIDADE
Notícias

Senadoras ocupam Mesa e Eunício suspende votação de reforma trabalhista

O texto foi aprovado pela Câmara em abril e, se for aprovado pelo Senado sem mudanças, seguirá para a sanção do presidente Michel Temer

11:38 | 11/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), suspendeu agora há pouco sessão extraordinária da Casa que vota a reforma trabalhista. A suspensão ocorreu após senadoras da oposição "ocuparem" a Mesa Diretora em protesto contra a medida. Em meio à confusão, luzes do prédio foram cortadas.

A assessoria da presidência do Senado, no entanto, não confirma de onde surgiu a ordem para desligar a iluminação do plenário. Após o tumulto, Eunício convocou reunião de líderes partidários na direção da Casa.

Após solução do impasse, expectativa é de que ocorra votação aberta e nominal da reforma. Enviada pelo governo ao Congresso Nacional no ano passado, o texto muda mais de 100 trechos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O texto foi aprovado pela Câmara em abril e, se for aprovado pelo Senado sem mudanças, seguirá para a sanção do presidente Michel Temer (PMDB). Entre as medidas incluídas, estão uma série de medidas que simplificam regras de contratação e demissão, ampliando participação da negociação direta entre patrões e empregados nos contratos de trabalho.

Uma das primeiras a falar na sessão, Fátima Bezerra (PT-RN) criticou mudanças propostas. "É um governo moribundo, que está vivendo seus últimos suspiros, passando uma legislação que vai levar o Brasil de volta para a República Velha, para a escravidão", diz. 

Protestos 

Do lado de fora do Senado, manifestantes da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) protestam contra as mudanças previstas na legislação. Em evento nesta terça, o presidente Michel Temer disse que a reforma é desafio necessário que ficou parado "por décadas". 

Redação O POVO Online 

TAGS