PUBLICIDADE
Notícias

Prefeito eleito de Mulungu está entre os presos em operação da Polícia Federal

A investigação da PF aponta que os recursos seriam desviados por meio de fraudes em licitações e superfaturamento na execução dos contratos promovidos pelas prefeituras, especialmente dos repasses federais destinados ao Pnate e Fundeb

10:18 | 07/12/2016

A Polícia Federal, com apoio da Controladoria Geral da União (CGU), deflagrou operação nesta quarta-feira, 7, para desarticular grupo criminoso dedicado a desvio de recursos públicos destinados à educação em municípios cearenses. O prefeito eleito de Mulungu, Robert Viana (PMN), é um dos presos na ação, conforme adiantou ao O POVO o superintendente da PF no Ceará, Delano Cerqueira, que participa, na manhã desta quarta-feira, do programa O POVO quer Saber, do grupo de Comunicação O POVO.

A operação "Três Climas" cumpre sete mandados de prisão preventiva, três mandados de prisão temporária, seis mandados de condução coercitiva e 24 de busca em apreensão.

Os detalhes da operação serão repassados em coletiva de imprensa, na sede da PF em Fortaleza nesta quarta. A operação conta com efetivo de 107 policiais federais, além do apoio de integrantes da Controladoria-Geral da União.

Em nota, a PF informa que os recursos eram desviados por meio de fraudes em licitações e superfaturamento na execução dos contratos promovidos pelas prefeituras, especialmente dos repasses federais destinados a ações de Transporte Escolar na Educação Básica (Pnate) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

De acordo com a PF, os contratos investigados foram firmados entre 2012 e 2015. "O potencial lesivo da quadrilha está demonstrado no fato de que somente uma das empresas contratadas pelas três prefeituras superfaturou os serviços de transporte escolar em mais de R$ 10 milhões, sendo os valores mais expressivos foram identificados em Itapipoca, Ocara e Pacajus'', informa a PF.

Também há indícios de desvio de recursos públicos em obras custeadas por convênios firmados com os Ministérios do Turismo e dos Esportes no município de Ocara/CE, de acordo com as investigações.

Os suspeitos são investigados pelos crimes de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva , fraude em licitação, dispensa indevida de licitações , associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Redação O POVO Online

TAGS