PUBLICIDADE
Notícias

Cunha vira "peso" para correligionário em disputa de Sobral

Pré-candidato, Moses Rodrigues tem sido "acusado" de ser aliado do peemedebista em Brasília. O deputado nega e tem tentado se desvencilhar da pecha

16:04 | 14/07/2016
NULL
NULL

Com perspectiva de ter o mandato cassado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pode já ter virado “peso” para correligionários em eleições deste ano. Pré-candidato à Prefeitura de Sobral, o deputado Moses Rodrigues (PMDB) tem sido “acusado” por opositores de ser aliado de Cunha em Brasília. Preocupado com a associação, o deputado nega e tenta se desvencilhar da pecha.

Nas redes sociais e blogs da região, se multiplicam notícias que fazem relação entre o deputado sobralense e o ex-presidente da Câmara. Em uma das páginas, Moses é frequentemente chamado de “Moses do PMDB de Cunha”. No mês passado, Sobral teve inclusive um protesto crítico ao parlamentar por sua suposta relação com o correligionário.

[SAIBAMAIS 3]Apesar de ter migrado para o PMDB neste ano, Moses Rodrigues nega ser aliado de Cunha e diz que pediu, ainda em 2015, que o ex-presidente fosse afastado da Casa e investigado. O parlamentar destaca que era filiado ao PPS, sigla da oposição que, apesar de ser favorável ao impeachment, sempre foi crítica a Cunha.

A associação também pode ser explicada pela atuação de Moses pelo impeachment de Dilma Rousseff. Como era Cunha que conduzia o processo na Câmara, muitos deputados favoráveis à saída da petista acabaram vinculados ao peemedebista. 

Eleição acirrada

A polêmica ocorre em meio a uma das disputas eleitorais mais acirradas de Sobral nos últimos anos. Além de Moses, disputa a Prefeitura o caçula dos Ferreira Gomes, Ivo Gomes (PDT). A cidade é berço político da família e já foi administrada tanto por Cid e Ciro Gomes.

Em vídeo divulgado em sua página no Facebook, no entanto,o deputado diz ter atuado inclusive para tentar evitar manobra de Cunha que adiou votação de recurso contra sua cassação na Comissão de Constituição e Justiça da Casa (CCJ). Na eleição para presidência da Casa, o deputado diz ter votado em Rodrigo Maia (DEM-RJ), que defende a cassação de Cunha.

Redação O POVO Online
TAGS