PUBLICIDADE
Notícias

Após renúncia, Leonelzinho e A Onde É devem disputar nova vaga na Câmara

Baixada a poeira do escândalo da VDP, ambos acabaram trocando de partido e são nomes dados como certos na disputa

14:01 | 17/06/2016
NULL
NULL
Vereadores que renunciaram após acusação de desvios na Verba de Desempenho Parlamentar (VDP) da Câmara, Leonelzinho Alencar (Pros) e A Onde É (PTB) são hoje cotados como “puxadores de votos” para a eleição deste ano. Baixada a poeira do escândalo da VDP, ambos acabaram trocando de partido e são nomes dados como certos na disputa.

Leonelzinho renunciou ao cargo em junho passado, alegando que iria se "dedicar integralmente" à sua defesa. A renúncia ocorreu às vésperas de a Câmara abrir processo disciplinar contra o parlamentar na Casa, o que poderia deixar o parlamentar inelegível. Duas semanas antes, Leonelzinho havia sido afastado pela Justiça na ação da VDP.

Já A Onde É renunciou em maio do ano passado, em meio a julgamento de ação que pedia sua cassação no Conselho de Ética da Casa. O vereador havia sido preso em flagrante em setembro de 2014, acusado de reter parte do salário de assessores seus na Casa.

[SAIBAMAIS 4]Ex-PTdoB, Leonelzinho está hoje no Pros e tem participado de eventos do partido de olho nas eleições. Dirigentes do partido dizem que o ele ainda avalia se entrará na disputa ou lançará algum familiar. Já A Onde É foi expulso do PTC e migrou para o PTB, onde é cotado como nome forte na disputa por ex-colegas da Câmara. “Leonelzinho vai ser dos mais votados”, disse um vereador.

VDP

Verba de cerca de R$ 21,7 mil para despesas e R$ 43,5 mil para contratação de assessores, a VDP tem sido pivô de diversos escândalos na Câmara. Em outubro passado, o chefe da verba na Casa, Francisco Elias Santos Salomão, chegou a ser preso em ação coordenada pelo Ministério Público do Estado (MP-CE).

Suposto esquema envolveria o uso de uma agência dos Correios para fornecimento de recibos falsos para cobrir desvios da VDP. A Câmara Municipal nega todas as acusações, destacando que a verba da Casa é toda licitada e possui alto grau de transparência.

Redação O POVO Online
TAGS