PUBLICIDADE
Notícias

Votação da meta fiscal será primeiro teste do novo governo, diz Temer

Nesta segunda, 23o presidente em exercício levou pessoalmente ao presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) a revisão da nova meta fiscal

11:17 | 24/05/2016

Presidente em exercício, Michel Temer (PMDB) admitiu que a votação no Congresso da nova meta fiscal será o "primeiro teste" de seu governo. Nesta terça-feira, 24, ele pediu aos parlamentares para se esforçarem para aprovar a medida que, de acordo com ele, "ajuda a tirar o País da crise".

"No dia de hoje temos uma votação de uma matéria importante para o governo, que é a ampliação da meta. (...) De um lado, do governo, do outro lado, do Legislativo, para revelar ao brasileiro que estamos trabalhando", falou o presidente. "Eu preciso dos senhores", pediu Temer.

Nesta segunda, 23, ele levou pessoalmente ao presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) a revisão da nova meta fiscal. A equipe econômica de Temer calculou um déficit de R$ 170,5 bilhões, um rombo significativamente maior que os R$ 96,7 bilhões apresentados pelo governo Dilma Rousseff (PT) anteriormente.

No discurso de abertura da reunião com os líderes da base aliada, Temer tentou dividir a responsabilidade de estabilizar a economia com os parlamentares, afirmando que todos estão "governando juntos" e falndo de "semi-parlamentarismo", regime que, ao menos na teoria, não é o brasileiro.

Ele ainda criticou a oposição, dizendo que ela quer "tulmutuar os trabalhos" e impedir a votação da nova meta fiscal. Para com Temer, são deputados e senadores que durante o governo Dilma chegaram a propor a modificação da ,eta, mas "hoje anuncia que vão tentar tulmutuar".

Redação O POVO Online

TAGS