PUBLICIDADE
Notícias

Para Gilmar Mendes, não há tentativa de barrar Lava Jato em conversa de Jucá

"Não vi isso. É uma conversa entre pessoas que têm alguma convivência e estão fazendo análise do cenário numa posição não muito confortável", disse

17:38 | 24/05/2016

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilma Mendes disse que conversa entre o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado não indica tentativa de barrar Operação Lava Jato. "Não vi isso. É uma conversa entre pessoas que têm alguma convivência e estão fazendo análise do cenário numa posição não muito confortável", falou.

Jucá deixou o cargo de ministro de Planejamento no governo do presidente em exercício Michel Temer (PMDB) nesta segunda-feira, 24, após áudios de diálogo com Machado serem divulgados pelo jornal Folha de São Paulo. Ambos são alvos da investigação.

Gilmar Mendes, porém, afirmou que o fato de Jucá ter dito que havia conversado com ministros do STF sobre o caso causou "incômodo" e que não foi procurado pelo senador. "Sou uma pessoa que tem bom relacionamento com o Jucá desde o governo Fernando Henrique e ele nunca me procurou sobre isso. parece que isso é tom de conversa geral", disse.

Para Gilmar, as menções de políticos sobre terem acesso a integrantes da Corte teria virado um "mantra", mas não condizem com a realidade. Segundo ele, não há motivos para suspeitar do STF no que diz respeito à condução da Lava jato.

"O Tribunal tem agido com muita tranquilidade, com muita seriedade, muita imparcialidade, a mim me parece que não há nada que possa mudar o curso (das investigações)", concluiu.

Para ele, a saída de Jucá não vai prejudicar o governo de Temer. "São problemas da realidade política, com os quais se tem que lidar", disse.

Redação O POVO Online

TAGS