PUBLICIDADE
Notícias

"O primeiro a ser comido vai ser o Aécio", disse Machado a Jucá

Além de Aécio, o senador Tasso Jereissati é citado na conversa gravada que trata sobre um suposto pacto para barrar a Lava Jato: "todo mundo na bandeja para ser comido"

09:25 | 23/05/2016

Nas conversas ocorridas em março e divulgadas nesta segunda-feira, 23, o ministro do Planejamento, o senador licenciado Romero Jucá (PMDB-RR), um dos principais articuladores do impeachment de Dilma Rouseff, cita o ministro Serra e os senadores Aécio Neves, Aloysio Nunes e Tasso Jereissati, todos do PSDB. "O primeiro a ser comido vai ser o Aécio", disse Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, em referência à Operação Lava Jato.

Jucá afirma ainda que Aécio não ganharia eleições:  "O Aécio não tem condição, a gente sabe disso, porra. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB..." Os diálogos de uma hora e 15 minutos sugerem um pacto, inclusive com "o Supremo, com tudo", para barrar a Lava Jato.

Confira:
Machado: ''A situação é grave. Porque, Romero, eles querem pegar todos os políticos. É que aquele documento que foi dado...''

Jucá: "Acabar com a classe política para ressurgir, construir uma nova casta, pura, que não tem a ver com...''

Machado:
"Isso, e pegar todo mundo. E o PSDB, não sei se caiu a ficha já''.

Jucá: "Caiu. Todos eles. Aloysio [Nunes, senador], [o hoje ministro José] Serra, Aécio [Neves, senador]''.

Machado: "Caiu a ficha. Tasso [Jereissati] também caiu?''

Jocá: "Também. Todo mundo na bandeja para ser comido"

Machado: "O primeiro a ser comido vai ser o Aécio''.

Jucá:
"Todos, porra. E vão pegando e vão...''

Machado: "O que que a gente fez junto, Romero, naquela eleição, para eleger os deputados, para ele ser presidente da Câmara? [Mudando de assunto] Amigo, eu preciso da sua inteligência''.

Jcuá: "Não, veja, eu estou a disposição, você sabe disso. Veja a hora que você quer falar".

Machado: "Porque se a gente não tiver saída... Porque não tem muito tempo''.

Jucá:
"Não, o tempo é emergencial''.

Mchado: "É emergencial, então preciso ter uma conversa emergencial com vocês''.

Jucá: "Vá atrás. Eu acho que a gente não pode juntar todo mundo para conversar, viu? [...] Eu acho que você deve procurar o [ex-senador do PMDB José] Sarney, deve falar com o Renan, depois que você falar com os dois, colhe as coisas todas, e aí vamos falar nós dois do que você achou e o que eles ponderaram pra gente conversar''.

Machado: "Acha que não pode ter reunião a três?''

Jucá: "Não pode. Isso de ficar juntando para combinar coisa que não tem nada a ver. Os caras já enxergam outra coisa que não é... Depois a gente conversa os três sem você''.

Mchado: ''Eu acho o seguinte: se não houver uma solução a curto prazo, o nosso risco é grande''.

[...]

Machado: "É aquilo que você diz, o Aécio não ganha porra nenhuma...''

Jucá:
"Não, esquece. Nenhum político desse tradicional ganha eleição, não''.

Machado: ''O Aécio, rapaz... O Aécio não tem condição, a gente sabe disso. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB...''

Jucá: "É, a gente viveu tudo''.

Redação O POVO Online
TAGS