PUBLICIDADE
Notícias

Cunha acerta votação do impeachment para as 14 horas deste domingo

O presidente da Câmara poderá começar a votação pela região Sul, deixando as regiões Norte e Nordeste para o final

16:59 | 12/04/2016
NULL
NULL

Atualizada às 19h2min

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), confirmou com líderes partidários a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff para as 14 horas deste domingo, 17. As informações são da Folha de S.Paulo.

As discussões serão iniciadas às 8h55 da próxima sexta-feira, 15, e finalizadas domingo, com a votação do parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável ao prosseguimento do processo de afastamento.

Os parlamentares serão chamados, um a um, e terão 10 segundos para expor o voto. A expectativa é que o resultado seja divulgado entre as 21 e 22 horas.

[SAIBAMAIS 3]Os deputados Bruno Araújo (PSDB-PE) e Pauderney Avelino (DEM-AM), que estiveram presentes na reunião, confirmaram a informação ao G1.

De acordo com a Folha de S.Paulo, Cunha afirmou a aliados que irá começar a votação pela região Sul, deixando as regiões Norte e Nordeste apenas para o final. O intuito é criar um clima “pró-impeachment”.

Porém, o site de notícias G1 frisou que, conforme deputados, a chamada ainda não foi oficialmente definida pelo presidente da Câmara. É provável que detalhes sobre a forma da votação - se por ordem alfabética ou por região - sejam reveladas apenas nesta quarta-feira, 13.

Um dos principais apoiadores do afastamento de Dilma, Cunha teria distribuído aos parlamentares uma síntese do processo de discussão do impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, e disse que pretende seguir o mesmo roteiro. A base do governo defende a adoção do mesmo critério usado em 1992 - por ordem alfabética, mas defensores do impeachment de Dilma garantem que não há relevância no critério.

Sexta-feira

Na sexta-feira, os trabalhos serão abertos com a fala dos autores da denúncia e a manifestação da defesa da presidenta Dilma Rousseff. Será concedido prazo de 25 minutos para ambas as partes. Depois disso, cada um dos 25 partidos com representação na Câmara e os líderes da maioria e da minoria terão uma hora para discussão. Esse tempo poderá ser dividido com até cinco parlamentares, independentemente do tamanho da bancada.

Sábado

Pelo cronograma, serão necessárias, pelo menos, 28 horas para a discussão inicial. Com isso, a discussão iniciada na sexta poderá se prolongar até as 13h de sábado (16), ultrapassando o horário previsto por Cunha para início da sessão deste dia, 11h. Os trabalhos no sábado começam com a fala dos deputados que se inscreverem no dia anterior (de 9h às 11h) para discutir o relatório. No sábado, todos os líderes terão direito a falar por suas bancadas pelo tempo correspondente ao tamanho das bancadas.

A cada nova sessão, os líderes terão direito a usar da palavra conforme prevê o regimento da Casa. A intenção do presidente da Câmara é encerrar os debates no sábado. Cada um dos deputados inscritos terá direito a 3 minutos de fala. Se os 513 optarem por discursar, serão gastos 1.539 minutos, o equivalente a quase 26 horas.

Com início previsto para as 11h de sábado, se não houver interrupções, essa fase deverá durar até as 13h de domingo.

Domingo

Pelo cronograma definido hoje, no domingo, a sessão será iniciada às 14h, com a fala dos líderes partidários. Em seguida, os representantes dos partidos terão 10 segundos para fazer o encaminhamento e orientação da votação.
 

Redação O POVO Online e Agência Brasil
TAGS