PUBLICIDADE
Notícias

Guilherme Sampaio diz que Secult o ajudou a perceber "vocação para o Executivo"

Guilherme afirma que reconheceu os limites no enfrentamento que seria necessário com o Governo e, por isso, decidiu antecipar o retorno à Câmara

14:38 | 01/03/2016
NULL
NULL

Atualizada às 19h

Agora ex-secretário da Cultura do Estado, o vereador do PT Guilherme Sampaio reassumiu o cargo na Câmara Municipal de Fortaleza nesta terça-feira, 1°, reforçando as críticas ao Governo e o discurso de oposição ao prefeito Roberto Cláudio (PDT), de quem pode ser adversário nas eleições municipais. Sampaio precipitou em 30 dias o retorno para o Legislativo e afirma que a experiência na Secult ajudou a perceber “vocação para o Executivo”.

Líder da oposição antes de assumir cargo no Governo, Guilherme Sampaio não confirmou se reassumirá a função, mas disse que fará “os melhores nove meses de mandato”, com nova estrutura técnica. “Vou contribuir fortemente para denunciar os retrocessos nas políticas sociais, os retrocessos políticos da administração do prefeito Roberto Cláudio”, disse o petista.
[SAIBAMAIS 3]
Cotado como pré-candidato do PT, Guilherme ressaltou que a experiência à frente da Secult ajudou a perceber que tem “vocação para o Poder Executivo”. Ele voltou a fazer críticas à dificuldade de gestão na pasta. A passagem pela Secult foi dificultada por uma "certa tibieza, certa timidez do governo”, mas, segundo ele, mostrou-se estratégica para mostrar que é possível desenvolver uma política pública para a Cultura capaz de gerar avanços importantes.

“Para isso precisa ter peito, coragem e decisão política. Todo mundo conhece a fragilidade dos órgãos institucionais das políticas de Cultura no País, todo mundo conhece a fragilidade do sublugar da cultura na política, não muda mantendo, a gente só muda enfrentando”, ressaltou. Guilherme afirma que reconheceu os limites no enfrentamento que seria necessário com o Governo e, por isso, decidiu antecipar o retorno à Câmara.

Relação com Camilo
O ex-secretário disse que não houve diálogo com o governador Camilo Santana (PT) sobre as pretensões do PT em ter candidatura contra Roberto Cláudio, aliado de Camilo. Ele afirmou que desconhece movimentos do governador em prol do prefeito e que, se isto estiver acontecendo, “não vai ao encontro dos objetivos do Partido dos Trabalhadores, vai ao encontro de outras forças políticas”.

“Nossa estratégia política não pode ser submetida à de outras forças contra as quais nós nos insurgimos fortemente. Esperamos que Camilo represente uma evolução política não uma reprodução de modelos administrativos que condenamos publicamente”, disparou Guilherme.

O governador é ligado ao grupo político dos irmãos Cid e Ciro Gomes, ao qual também pertence o prefeito Roberto Cláudio. A sinalização de candidatura própria do PT em Fortaleza pode prejudicar a estratégia de Camilo junto ao grupo que o levou ao Governo.

Secult
Guilherme anunciou a saída da Secult no dia 23 de fevereiro. Foi efetivado na função o secretário-adjunto Fabiano dos Santos Piúba. Na Câmara Municipal, deixou o cargo o suplente Jovanil Oliveira (PT). No PT, Guilherme é cotado como pré-candidato juntamente com a ex-prefeita e deptuada federal Luizianne Lins, o deputado estadual Elmano de Freitas e o secretário estadual Acrísio Sena.

Com informações do repórter Wagner Mendes
TAGS