PUBLICIDADE
Notícias

petista nega ter admitido venda de medidas

06:55 | 23/01/2016
O Instituto Lula divulgou nesta sexta, 22, nota, assinada pelo assessor José Chrispiniano, na qual questionou as reportagens do portal estadão.com sobre o depoimento do ex-presidente Lula. De acordo com o instituto, Lula nunca admitiu ter havido compra de medidas provisórias durante seu governo ou ter conversado com lobistas sobre a edição das medidas. Conforme a assessoria do ex-presidente, Lula "chamou de �coisa de bandido� uma suposição levantada pelo delegado" que conduziu o depoimento.

"Lula jamais admitiu que tenha havido �compra de MPs� em seu governo ou que tenha tratado com lobistas sobre sua edição. O que ele chamou de �coisa de bandido� foi uma suposição levantada pelo delegado, que pediu a Lula para formular juízo sobre uma palavra �no sentido pejorativo�. Isso fica bem claro na leitura do depoimento prestado por Lula ao delegado Marlon Cajado na condição de informante (nem como testemunha, nem como investigado) em 6 de janeiro deste ano, páginas 5 e 6", diz trecho da nota.

O Instituto Lula alega ainda que a partir da série de reportagens a Operação Zelotes, "num passe de mágica", se transformou em "uma devassa" em torno da contratação da LFT.

O estadao.com disponibilizou a íntegra do depoimento desde a publicação das primeiras reportagens desta sexta, 22.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

TAGS