PUBLICIDADE
Notícias

Volta da CPMF vai "na contramão" de interesse da população, diz tucano

Segundo Raimundo Gomes de Matos, governo deveria investir em transparência, combate à corrupção e aplicação correta de recursos para a Saúde

11:02 | 02/12/2014

Deputado federal reeleito, Raimundo Gomes de Matos (PSDB) fez duras críticas a articulação de governadores petistas – incluindo o cearense Camilo Santana (PT) – pela volta da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Segundo o parlamentar, medida vai “na contramão” dos interesses da população. O assunto também provocou debates na Assembleia do Estado.

“Vai totalmente na contramão, pois o que a população deseja é transparência, combate à corrupção, aplicação correta dos recursos, não ter mais maquiagem para inventar superávit na economia”, disse, em entrevista ao Blog do Eliomar.

Confira trecho da entrevista de Raimundo Gomes de Matos:

[VIDEO1]

Segundo o parlamentar, medida mais eficaz para ampliar financiamento da Saúde seria regulamentação eficaz da emenda 29, que delimita os recursos para a área. “Aumentar carga tributária é totalmente em dissonância com o que quer o povo nordestino, é um estelionato eleitoral”, diz.

[SAIBAMAIS 1]Tributo extinto

Imposto que vigorou entre 1994 até 2007, a CPMF era cobrada automaticamente sobre quaisquer transações bancárias. Após sucessivas prorrogações, o tributo deixou de ser cobrado em 2007, após ter novo adiamento rejeitado pelo Senado. Agora, governadores petistas do Nordeste estariam tentando “ressuscitar” o tributo, de olho em aumentar financiamento da Saúde.

Em reunião com Dilma em Fortaleza na última sexta-feira, 28, Camilo Santana (CE), Rui Costa (BA) e Wellington Dias (PI) apresentaram proposta de articulação pela volta do imposto à gestora. A ideia é levar a ação para encontro de governadores do Nordeste ainda neste mês.

Deputados estaduais

Articulação para a volta da CPMF também motivou debates no Legislativo estadual. "Vejo essa mobilização como promissora, importante e positiva para nós que queremos uma saúde pública melhor", disse Lula Morais (PCdoB). Apesar de defender importância dos gastos na Saúde, Carlomano Marques (PMDB) disse que "metade do problema" na área é de má gestão dos recursos disponíveis. Ele disse que volta do imposto seria "extorquir a população".

Redação O POVO Online

TAGS