PUBLICIDADE
Notícias

Justiça afasta secretário de Finanças e mais dois

Gestores são acusados de fraudes em processos licitatórios. Seis mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no município

15:19 | 11/11/2014
O Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE) e a Polícia Civil deflagraram hoje a operação “Fábrica da Corrupção”, em Brejo Santo, no Cariri. Estão sendo cumpridos seis mandados de busca e apreensão em prédios da Prefeitura e da empresa de calçados Dilly Nordeste LTDA. A Justiça também determinou o afastamento imediato do procurador-geral do Município, Marcos Antônio Sampaio de Sousa; da presidente da comissão de licitação, Maria Ceciliana Máximo Neves; e do secretário de Finanças, José Norberto Alves.

As decisões atendem a ações ajuizadas pelo MPCE na última quinta-feira e no dia 23 de outubro. O Poder Judiciário também determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do prefeito, Guilherme Sampaio Landim; da empresa Dilly Nordeste LTDA; e dos três gestores já afastados, além da indisponibilidade de todos os bens móveis e imóveis de todos eles.

Os gestores são acusados de fraude em quatro processos licitatórios. Foram encontrados sérios indícios de crimes e atos de improbidade praticados na atual gestão municipal que podem ter resultado em dano ao erário municipal de cerca de R$ 686 mil. O MP-CE deve divulgar balanço geral dos resultados da operação no fim do dia.

Procurada pelo O POVO, ninguém da Prefeitura foi encontrado para falar sobre a operação. Na secretaria de Educação, afirmou-se que não estava havendo ação na cidade. Entretanto, membros do MP-CE declararam, após contato da reportagem, que estavam na Prefeitura da cidade naquele momento executando os mandados.

Redação O POVO Online, com informações da assessoria do MP-CE
TAGS