PUBLICIDADE
Notícias

EPE: preço de energia eólica tem certa estabilidade

08:20 | 30/11/2014
Os últimos leilões de energia nova, com fornecimento em prazos de três (A-3) ou cinco anos (A-5), têm evidenciado uma certa estabilidade nos preços da energia eólica vendida, analisou o diretor de Estudos de Energia Elétrica da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), José Carlos de Miranda Farias. Ele lembrou que no último leilão A-3, realizado em junho passado, o preço médio da energia eólica ficou na casa de R$ 130. Na sexta-feira, 28, o preço médio ficou em R$ 136/MWh.

"Talvez seja reflexo da quantidade de projetos eólicos que a gente tem comprado. A eólica tem tido penetração muito significativa e temos informações de que há bastante encomenda no mercado para as indústrias. Isso talvez reflita a não queda de preço que poderia estar sendo observada", afirmou Miranda após a conclusão do A-5 realizado sexta.

Questionado se os preços dos últimos leilões mostram menor atenção do governo federal na modicidade tarifária, Miranda descartou uma tendência natural de elevação de preços. "Continuamos focando as duas coisas (segurança de abastecimento e preços baixos). A questão é que as térmicas são necessárias para dar segurança ao sistema brasileiro. É uma estratégia para ter segurança e modicidade tarifária", afirmou.

Caso a preocupação do governo federal fosse restrita à modicidade tarifária, explicou Miranda, seriam contratados apenas projetos hídricos e eólicos. "Mas precisamos diversificar a matriz energética para permitir contratar mais fontes renováveis", ressaltou. Os projetos térmicos, considerados mais caros, são vistos como fundamentais para dar segurança de abastecimento em períodos de menor incidência de ventos, no caso dos projetos eólicos, de sol, no caso dos solares, e de chuva, no caso dos hídricos.

O preço médio da energia vendida no leilão ficou em R$ 196,11/MWh, impulsionado pelo custo dos projetos térmicos, acima de R$ 200/MWh. O custo da energia gerada em usinas eólicas, por outro lado, ficou em R$ 136/MWh, seguido por R$ 161,89/MWh das pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

TAGS