PUBLICIDADE
Notícias

Sartori, do PMDB-RS, diz confiar em Marina no 2º turno

15:40 | 05/10/2014
O candidato do PMDB ao governo do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, votou na tarde deste domingo (5) no Colégio La Salle Carmo, no centro de Caxias do Sul, cidade distante 130km de Porto Alegre. Ele estava acompanhado do candidato a vice-presidente da República, Beto Albuquerque (PSB), e da mulher e candidata a deputada estadual Maria Helena Sartori.

O clima tranquilo do local de votação foi tumultuado pela presença de repórteres e fotógrafos, que se acotovelavam na tentativa de ouvir uma palavra do candidato. Ele chegou e saiu confiante, cumprimentou eleitores que deixavam o local e que estavam nas filas das seções aguardando para votar. Depois, o candidato conversou com jornalistas.

Sartori disse que sua candidatura é uma oportunidade de mudança para o Rio Grande do Sul e País, e em sintonia com a mudança que a população reivindicou nos protestos de ano passado. O peemedebista lembrou que durante toda a campanha pediu a oportunidade de ir para o segundo turno. "Tenho a certeza de que indo para o segundo turno podemos ganhar a eleição".

O candidato afirmou que acredita na possibilidade da candidata a presidência da República, Marina Silva (PSB), chegar ao segundo turno. "Ela já cumpriu um grande papel e tenho convicção que o mundo silencioso da política vai colocar ela no segundo turno. O candidato almoça em Caxias e depois retorna a Porto Alegre onde passa o restante do dia e acompanha a apuração.

Café com apoiadores

Pela manhã, o candidato peemedebista participou de café da manhã com o candidato à vice-presidente Beto Albuquerque (PSB), seu vice, José Cairoli (PSD) o candidato ao Senado, Pedro Simon, e apoiadores.

Mais cedo, Sartori afirmara que, apesar de as pesquisas sinalizarem que ele tem possibilidade de chegar ao segundo turno, o clima ainda é de cautela e serenidade. "Vai depender do trabalho que realizarmos até as 17 horas. Como não existe nada garantido, vamos em busca de todos os votos que são necessários", afirmou, enquanto acompanhava a votação do candidato do PSB a vice-presidente, Beto Albuquerque. Sartori votará no início da tarde na cidade de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha.

O ex-prefeito de Caxias é a maior surpresa da eleição gaúcha e ameaça deixar de fora da disputa a senadora Ana Amélia Lemos (PP), que era favorita até o mês passado. Na pesquisa Datafolha divulgada neste sábado, Sartori aparece com 25% dos votos, empatado com Ana Amélia, que tem os mesmos 25%. Na frente está o atual governador, Tarso Genro (PT), com 31%. Os números se referem aos votos totais.

Sartori começou a campanha, em julho, com menos de 10% da preferência do eleitorado, mas cresceu gradativamente e deu um salto nas últimas duas semanas. Ele foi beneficiado pela troca de ataques e farpas entre Tarso e Ana Amélia - que protagonizaram uma disputa particular -, e acabou conquistando os votos dos eleitores indecisos e daqueles insatisfeitos com a polarização entre PT e PP.

O candidato atribuiu o movimento ascendente justamente à estratégia de não atacar os candidatos. "No sentido de não rivalizar, não criar um ambiente de desconformidade, mas acima de tudo trabalhar o que a gente pensava sobre as questões do Estado", disse.

Sartori também mencionou a força da militância do PMDB e dos partidos aliados e elogiou os responsáveis por sua campanha, que permitiram que ele aparecesse nos programas de rádio e TV exatamente como é. "Com criatividade, com jeito, com postura simples e com humildade, nós fomos caminhando", revelou.

Perguntado se a estratégia do "não embate" mudará caso ele vá para o segundo turno, Sartori disse que, por enquanto, só pensa no dia de hoje.

TAGS