PUBLICIDADE
Notícias

Eunício nega relação com crise Cid x Wagner e diz que governo deve aceitar reforços

12:01 | 14/10/2014

Candidato do PMDB ao governo, Eunício Oliveira minimizou nesta terça-feira, 14, qualquer relação sua com crise entre Cid Gomes (Pros) e o deputado eleito Capitão Wagner (PR). Nesta segunda, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) do Ceará pediu à Justiça Eleitoral que envie reforços da Força de Segurança Nacional para garantir normalidade do 2º turno diante do acirramento entre Cid e Wagner.

"Eu quero deixar bem claro: essa disputa não é minha. Eu não criei nenhuma divergência nas polícias", disse o candidato. Enquanto o governador acusa o deputado de comandar milícia atuando para favorecer Eunício na disputa, Wagner acusa Cid de cercear fiscalização da PM no dia do 1º turno da eleição.

[SAIBAMAIS 4]Sobre o assunto, Eunício recomendou ainda que Cid acate ao pedido de reforços da Justiça. “Se ele (o governador) afirma que ele não tem controle sobre a Polícia, nada mais justo, nada mais correto, do que vir a Força Nacional para o Ceará para que eleição seja livre, para que não tenha a compra descarada de voto como teve no primeiro turno", diz.

O candidato do PMDB criticou ainda “compra de votos descarada” que teria ocorrido no 1º turno. "Estavam carregando dinheiro para compra de voto até dentro de ambulância".

Segundo a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), a decisão de pedir reforço federal foi tomada pela PRE em diálogo com a presidente da Corte, Iracema do Vale. O pedido será protocolado junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelo TRE, que irá notificar o Governo do Estado questionando sobre a real necessidade de ajuda federal. Caso o governador concorde, a Corte deve reforçar o pedido de tropas.

Redação O POVO Online
com informações do repórter Renato Sousa

TAGS