PUBLICIDADE
Notícias

Correção: Sartori encerra campanha com 'adeus, PT'

21:20 | 21/10/2014
A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. O candidato a governador do Rio Grande do Sul José Ivo Sartori (PMDB) tem 59% e o governador Tarso Genro (PT), candidato à reeleição, 41% dos votos válidos, de acordo com pesquisa do Ibope divulgada nesta terça-feira, e não 51% e 49%. Segue texto corrigido.

Aos gritos de "adeus, PT", o PMDB fez nesta terça-feira, 21, o último grande ato da campanha de seu candidato, José Ivo Sartori, ao governo do Rio Grande do Sul. Mais de 2 mil pessoas fizeram uma caminhada no centro de Porto Alegre, terminando com um rápido comício no largo Glênio Peres, onde receberam a notícia: pesquisa a Ibope encomendada pelo Grupo RBS confirmou a liderança do peemedebista com 53% dos votos e 37% do governador Tarso Genro, candidato do PT à reeleição. Em comparação com a última verificação, Sartori subiu um ponto e Tarso, três. Nos votos válidos, Sartori tem 59% e Tarso, 41%.

Ao lado do senador tucano eleito por São Paulo, José Serra, Sartori comemorou a notícia e aproveitou para alfinetar o PT. Afirmou que não vai ceder à "intriga" e a "baixaria". "Vamos mostrar nas urnas a dignidade do povo do Rio Grande", discursou.

O ex-prefeito de Caxias do Sul, que foi a grande surpresa do primeiro turno, terminando a frente de Tarso Genro, está sob ataque nos últimos dias por ter feito uma piada sobre o piso nacional dos professores, até hoje e não pago no Rio Grande do Sul. Em entrevista a um portal de notícias, Sartori disse que os docentes podiam procurar piso em uma conhecida loja de materiais de construção gaúcha.

Hoje, antes da caminhada começar, produtores do programa eleitoral do candidato peemedebista procuravam professores para gravar o mensagens de apoio ao candidato. Juntaram um grupo que então gravou um coro de "Sartori, nós professores estamos contigo".

José Serra, que passou a tarde no Estado concedendo dando entrevistas em defesa da candidatura de Aécio Neves, fez um breve discurso que terminou com uma promessa importante para os gaúchos. Afirmou que, caso Aécio seja eleito, ele, como senador, ajudará a renegociar a dívida dos Estados "até março ou abril". "Não tem tanto mistério assim", garantiu. O Rio Grande do Sul é o Estado com maior endividamento do País, seguido por Minas Gerais.

Amanhã, os dois candidatos ao governo gaúcho terão dois debates. Sartori não terá agenda externa. Já Tarso fará uma caminhada no centro de Porto Alegre com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

TAGS