PUBLICIDADE
Notícias

Aloysio Nunes (PSDB) se diz otimista com 2º turno

12:00 | 05/10/2014
O candidato a vice-presidente pelo PSDB, Aloysio Nunes, votou na manhã deste domingo em seção instalada na Faculdade D. Pedro 2º, em São José do Rio Preto, sua terra natal se dizendo "otimista" com a possibilidade de o seu partido ir para uma disputa de segundo turno contra Dilma Rousseff, do PT. Aloysio estava acompanhado da mulher, assessores e do deputado federal Rodrigo Garcia (DEM-SP). Antes de subir para a seção em que votaria, Aloysio recebeu o título do eleitor da mulher, Gisele, mas ao chegar à seção eleitoral foi obrigado a tirar da carteira o documento com foto. "Opa, tinha me esquecido de que precisa deste documento", disse, descontraído, para as mesárias.

Tomando cuidado para evitar o clima de "já ganhou", Aloysio disse aos jornalistas ter "esperança de ir para o segundo turno". "Não quero dizer nada ainda porque os eleitores ainda estão decidindo, mas estou muito otimista em razão do crescimento da candidatura de Aécio nos últimos dias em que os eleitores tomaram a decisão majoritária de colocá-lo como maior representante desse campo de oposição", comentou.

Sobre essa possível virada do tucano Aécio Neves, que segundo as pesquisas, teria ultrapassado Marina Silva (PSB) pela segunda colocação, Aloysio afirmou que "o PSDB já sabia disso". "Nós sabíamos que a candidatura do Aécio iria crescer, tínhamos pesquisas internas que mostravam que havia uma grande indefinição dos eleitores até 15 dias atrás e que o desejo de tirar o PT do governo, de mudar o governo brasileiro, já vinha se conduzindo para o Aécio, ainda timidamente, mas no final, sobretudo a partir do debate, o movimento ganhou um grande ímpeto", argumentou.

Ele disse que, se for para o segundo turno, seu partido terá mais tempo reverter pontos negativos e unir forças para derrotar o PT. "No segundo turno, haverá confronto direto com quem for conosco e, portanto, mais tempo, mais condições de igualdade de tempo, para discutir nossas propostas, para fazer as críticas que devemos fazer sobre o atual desgoverno do Brasil. E, sobretudo, apresentar o valor do nosso candidato, sua condição de dirigir o Brasil. Não apenas de ser alguém capaz de derrotar o PT, como também alguém capaz de dirigir o Brasil, capaz de dar um novo impulso ao nosso País", ressaltou.

Segundo Aloysio, o PSDB, caso vá para o segundo turno, terá mais tempo para reforçar pontos que considera positivos. "Não tenho dúvidas de que o maior tempo será favorável, porque todas as atenções se concentram agora sobre a eleição presidencial e nós teremos, além das situações negativas que vamos reverter, situações muito positivas que vão contribuir para nossa vitória", declarou. Para isso, Aloysio diz que o PSDB precisaria atrair forças não da sua coligação para também de partidos e pessoas indignadas com o governo.

"Não vamos mudar a estratégia, não vamos mudar o candidato, o candidato é o mesmo, a convicção é a mesma, vamos continuar a campanha procurando, se formos para o segundo turno, atrair todas as forças que querem mudar o Brasil. O PSDB nunca esteve tão unido -- e não apenas o PSDB--, toda a nossa coligação, e eu tenho esperança de que Aécio indo para o segundo turno, nos uniremos não apenas a nossa coligação, mas todos aqueles querem dar num novo ciclo em nosso desenvolvimento".

TAGS