PUBLICIDADE
Notícias

Aécio acusa PT de 'terrorismo'; Dilma destaca Pronatec

00:00 | 25/10/2014
Depois de ser questionado por Dilma Rousseff (PT) sobre o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, Aécio Neves (PSDB) repetiu que a campanha da presidente faz "terrorismo eleitoral" ao afirmar que eventual governo seu acabaria com programas sociais. "Pessoas na lista do cadastro (do Minha Casa, Minha Vida) estão recebendo mensagem dizendo que, se votarem em mim, sairão do cadastro", reclamou. O tucano reforçou que pretende manter o programa e ampliá-lo para a faixa de até três salários mínimos. "Ninguém pode querer se apropriar de programas como se fossem seus. Vamos subsidiar, sim, o que não vamos fazer no nosso governo é o 'bolsa empresário' que ajuda um grupo muito restrito de brasileiros em detrimento da maioria." Aécio acusou o governo também de não entregar os 3,5 milhões de habitações prometidas, mas apenas metade disso.

Dilma rebateu que Aécio precisa entender melhor as regras do programa, explicando que ele não passa por órgãos políticos, evitando privilégios a empresas nas construções. Ela disse não acreditar na proposta do adversário, acusando o PSDB de ter enfraquecido os bancos públicos e tê-los deixado endividados - a Caixa Econômica Federal é o banco usado no financiamento do programa habitacional. Aécio, por sua vez, acusou o governo da petista de aparelhar os bancos públicos, dizendo que um terço das diretorias do Banco do Brasil é ocupado por filiados do PT. "No meu governo, os bancos públicos serão fortalecidos, não aparelhados." Sobre os bancos públicos, Dilma disse que o PSDB "minguou" a Caixa. "Agora vocês vêm com essa conversa que vão fazer política social. A prática fala muito mais que palavras vazias", rebateu a presidente.

Pronatec

Ao ter a oportunidade de fazer outra pergunta no debate, Dilma ressaltou sua vitrine eleitoral, o Pronatec - programa de ensino técnico. Ela repetiu a crítica de que o governo tucano impediu a União de investir em escolas técnicas, dizendo que na era Fernando Henrique foram feitas 11 escolas técnicas federais contra 422 nos governos Lula e Dilma. "Nosso número foi só 1.600% maior que vocês fizeram em oito anos." Aécio também voltou à sua resposta de que o programa foi inspirado em iniciativas do PSDB. E disse que este é outro programa que ele pretende ampliar e aprimorar. Aécio destacou que o Pronatec está sob suspeita de falha cadastral, que leva a repasses incorretos a instituições mesmo depois de alunos terem deixado os cursos.

"São graves as denúncias de que vocês não contabilizaram alunos que deixam o Pronatec", afirmou. O tucano criticou ainda o não avanço em termos de qualidade na educação brasileira ao longo da gestão Dilma. "Em qualquer ranking internacional, é vergonhosa a posição do Brasil, inclusive em relação a vizinhos." Aécio reafirmou que, se eleito, pretende deixar como marca de sua Presidência a melhoria da qualidade educacional do País.

TAGS