PUBLICIDADE
Notícias

Protesto de grupo LGBT em comício de Marina gera tensão com militantes

16:12 | 12/09/2014
NULL
NULL

Atualizada às 17 horas

Integrantes e apoiadores da comunidade LGBT no Ceará estão reunidos na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, onde acontecerá o comício da candidata à presidência da República, Marina Silva (PSB), nesta sexta-feira, 12. O grupo protesta por causa do recuo da candidata no programa de governo referente à diversidade sexual.

> Veja fotos do protesto LGBT na Praça do Ferreira 

No local, há um clima de tensão entre integrantes e simpatizantes da causa LGBT com os militantes do PSB. Houve princípio de confusão entre os grupos após militantes hostilizarem os manifestantes com frases contrárias ao respeito à diversidade sexual. Não há policiamento no local.

Os manifestantes seguram uma faixa com a frase: “Abra sua mente, gay também é gente”, dentre outros cartazes com frases contra a homofobia. A expectativa é de que cerca de 50 a 100 pessoas se unam ao protesto.

[VIDEO1]

A previsão é de que Marina Silva desembarque em Fortaleza às 17h20min e conceda entrevista no local. Um palanque está montado na praça com um cartaz com a foto de Marina e da candidata ao Governo pelo PSB, Eliane Novais. A previsão inicial era de que o comício acontecesse às 16 horas, mas foi adiado para as 17 horas nesta sexta-feira.
[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

 

Programa de governo
Uma das ações de campanha de Marina Silva que se tornou polêmica foi o recuo no programa sobre diversidade sexual. No capítulo LGBT do programa de governo divulgado nem agosto constava que a candidata propunha "apoiar propostas em defesa do casamento civil igualitário", uma referência à "aprovação dos projetos de lei e da emenda constitucional em tramitação, que garantem o direito ao casamento igualitário na Constituição e no Código Civil."
[SAIBAMAIS 1]
A correção da coordenação da campanha transformou o texto para: "Garantir os direitos oriundos da união civil entre pessoas do mesmo sexo”. A ação gerou manifestações contrárias inclusive dentro do próprio partido. O dirigente do PSB para política LGBT, Luciano Freitas, deixou o cargo após o fato.

Redação O POVO Online
com informações da repórter Hébely Rebouças

TAGS