PUBLICIDADE
Notícias

Padilha aposta na militância para ir ao 2º turno em SP

19:10 | 12/09/2014
O candidato a governador de São Paulo pelo PT, Alexandre Padilha, passou a sexta-feira, 12, fazendo corpo a corpo no interior de São Paulo. Ele se reuniu com militantes e percorreu o centro comercial de Marília, Assis e Ourinhos, onde abraçou, beijou e entregou santinhos aos eleitores e discursou pedindo empenho da militância para ir ao segundo turno.

Ao discursar para a militância no camelódromo de Marília, Padilha pediu que "até no sonho" os petistas estejam concentrados em convencer o eleitorado. "Todo esse ânimo de hoje tem de continuar nos próximos dias, até as eleições. Até no sonho tem que estar sonhando como convencer o povo a votar na gente", pediu ele.

"Se vocês se esforçarem, vamos ao segundo turno", afirmou para um grupo de cerca de 50 militantes com bandeiras e dezenas de consumidores e comerciantes que assistiam seu discurso no camelódromo. "As pesquisas que valem são as urnas é lá que devemos mostrar nossos votos", afirmou.

Secretaria do povo

O candidato criticou a proposta de criação da Secretaria do Povo, feita pelo seu adversário, Paulo Skaf, candidato do PMDB ao governo de São Paulo, "é uma proposta ridícula, de alguém que não quer ter contato direto com o povo, quer botar um intermediário entre ele e o povo", afirmou.

"Eu vi hoje que ele se inspirou no ex-governador Fleury e a gente sabe como o Fleury cuidou do povo quando era governador de São Paulo -- bateu nos professores, foi desrespeitoso com os movimentos populares e com os prefeitos - e também deve ter se inspirado na estrutura da Fiesp, porque na Fiesp você entra lá e até encontrar o presidente, você passa por sete pessoas intermediárias", comentou. "Não dá para o candidato que sempre representou os mais ricos querer trazer para o Estado de São Paulo, em pleno século 21, uma proposta inspirada no ex-governador Fleury e na estrutura intermediária da Fiesp", afirmou.

"Eu sou o governador do povo. O meu governo, como um todo, tem relação com o povo, eu não preciso de intermediário nenhum para fazer contato com o povo e para dar ordens para as secretarias", concluiu.

Pedágio

O candidato voltou a dizer que vai reduzir as tarifas de pedágio, reavaliando os contratos com as concessionárias. "Vamos reduzir os preços dos pedágios, fazendo com que o contrato seja cumprido à risca, inclusive analisando as mudanças que aconteceram, como o Sem Parar", disse.

Por fim, o candidato do PT também prometeu modernizar a malha ferroviária para trazer de volta os trens de passageiros. Segundo ele a modernização pode ser feita por meio de parcerias com a iniciativa privada e é possível porque a malha é subutilizada pelos trens de carga, que usam exclusivamente 1.400 quilômetros da malha de ferrovias do estado. "Há espaço de até seis horas entre os trens que pode ser usado por trens de passageiros depois de a ferrovia ser modernizada", explicou.

TAGS