PUBLICIDADE
Notícias

Programas de Luizianne não vão ao ar e geram crise com coligação de Camilo

A petista acusa o governador Cid Gomes (Pros) de ter interferido junto à coordenação da coligação no sentido de "vetar" divulgação de seu material

14:34 | 19/08/2014
NULL
NULL

Atualizada às 16h50min

Apesar do início do Horário Eleitoral Gratuito, programas em rádio e TV da ex-prefeita Luizianne Lins (PT) não foram ao ar nesta terça-feira, 19. A petista, que é candidata à deputada federal, acusa o governador Cid Gomes (Pros) de ter interferido junto à coordenação da coligação no sentido de “vetar” divulgação de seu material. Ela afirma que levará o caso à Justiça ainda nesta terça e abre crise com a chapa petista.

“Eu já tinha enviado o programa para a coordenação da campanha, que tinha dado o ok para a divulgação. Depois, soube que o problema era o Cid. Vamos recorrer, para recuperar isso em até 24h”, diz Luizianne, que diz ter acertado com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, divulgação do material. Ela diz desconhecer as razões do veto: “Eles nem se preocupam em argumento, querem passar trator por cima, como na ditadura”, afirma.

[SAIBAMAIS 2]Segundo ela, seu programa tinha cerca de vinte segundos, apenas com gravações em estúdio, e exibia imagem do candidato ao governo Camilo Santana (PT) e da candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT). Candidato ao Senado pela mesma chapa, Mauro Filho (Pros) não era mencionado. Além disso, o programa de Luizianne não seguia estética padrão dos demais candidatos da coligação.

Luizianne é uma das duas candidaturas do PT com mais tempo que os demais, alcançando vinte segundos. No primeiro programa, a petista destacava avanços de sua gestão na Prefeitura de Fortaleza e prometia novas ações no Congresso Nacional – sem fazer menção ao governo Cid Gomes (Pros).

Aliado de Luizianne, Eudes Xavier (PT) também teve seu programa "cortado" do ar nesta terça. O deputado, que não citava nem Mauro nem Camilo em sua gravação, diz ter enviado vídeo em tempo hábil.

Coligação

Procurado pela reportagem, um dos coordenadores da campanha de Camilo, deputado Nelson Martins (PT), disse nao terem fundamento as acusações de Luizianne. A princípio, ele não soube explicar razões de o programa da petista não ter ido ao ar, mas negou qualquer intervenção de Cid Gomes no processo. "Não existe isso da parte do governador", disse.

Em contato com O POVO Online, a assessoria de imprensa da coligação de Camilo nega qualquer veto ao programa de Luizianne. Segundo ela, as gravações integram uma programação estipulada pela coordenação e devem ser exibidas nos próximos dias. De acordo com a coligação, todos os candidatos que gravaram terão seus programas exibidos.

mais informações em instantes

Carlos Mazza

TAGS