PUBLICIDADE
Notícias

Eduardo Campos iniciou a carreira política ainda na faculdade de economia

Campos começou a vida política ainda na universidade quando foi eleito presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

13:58 | 13/08/2014
NULL
NULL

Aos 16 anos, Eduardo Campos foi aprovado no vestibular para o curso de economia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde foi o orador da turma. Ele começou a vida política ainda na universidade quando foi eleito presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Aos 20 anos, o candidato concluiu o curso.

No ano de 1986, Campos desistiu de fazer um mestrado nos Estados Unidos para participar na campanha que elegeu o avô, Miguel Arraes, como governador de Pernambuco. Com a eleição de Arraes, em 1987, Eduardo Campos passou a atuar como chefe de gabinete do governador. Neste período, ele foi o responsável pela criação da primeira Secretaria de Ciência e Tecnologia do Nordeste e da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe).

Vida

O candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos nasceu em 10 de agosto de 1965, em Recife (PE). O político era ex-governador de Pernambuco e integrante do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Eduardo Campos foi casado com a também economista e auditora do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, Renata Campos, com quem teve cinco filhos.

Premiações

Em 2009, Eduardo Campos foi considerado pela Revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes do ano. No ano seguinte, o candidato foi o primeiro colocado no ranking de governadores estabelecido pelo Instituto Datafolha de Pesquisas, tendo 80% de aprovação pelos pernambucanos.

Em 2011, Campos foi apontado pela pesquisa Ibope/Band como o melhor governador do Brasil e, novamente, pela Revista Época, um dos 100 brasileiros mais influentes do ano.

Em 2013, Eduardo recebe o prêmio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) na categoria “Governo Seguro – Boas práticas em prevenção do crime e da violência.

[SAIBAMAIS4]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redação O POVO Online

TAGS