PUBLICIDADE
Notícias

Movimento 'Dilmão', no Rio, espera reunir 60 prefeitos

19:30 | 24/07/2014
O comando da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição esperava reunir 60 prefeitos, a maioria do PMDB, em jantar nesta quinta-feira, 24, com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que também tenta ser reeleito, na Churrascaria Oásis, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Até às 19h30, antes da chegada de Dilma, porém, apenas cerca de 30 deles haviam e se acomodado em uma área distante dos jornalistas. Cerca de 200 pessoas estavam acomodadas.

"Primeiro, é bom esclarecer que este evento é organizado pela campanha do governador Pezão", afirmou o coordenador da campanha de Dilma no Estado, vice-prefeito do Rio, Adilson Pires (PT). Segundo ele, Pezão confirmou a presença dos 60 prefeitos - cerca de dois terços dos chefes de Executivos municipais do Rio, 92.

O "Dilmão" (Dilma mais Pezão) é uma tentativa de resposta ao Aezão (Aécio Neves, presidenciável do PSDB, mais Pezão) , evento que reuniu 60 prefeitos e aproximadamente 1,6 mil pessoas. Seu anúncio, porém, causou mal-estar no PT, que disputa a eleição com o senador Lindbergh Farias, e desconfiança de dois outros candidatos a governador da base aliada no Rio, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) e o senador Marcelo Crivella (PR).

Adilson Pires contou que sua proposta inicial era que cada um dos quatro candidatos a governador organizasse um evento com Dilma, que ainda teria uma atividade sem nenhum postulante ao governo do Estado. O jantar com Pezão teria sido escolhido primeiro por ser uma reunião com prefeitos e políticos, mais rápida para ser organizada. Os encontros propostos com os demais são eventos públicos, cuja articulação leva mais tempo. "Estive com Lindbergh no mesmo dia em que a proposta foi apresentada", declarou. "Conversei com Lindbergh."

Um dos organizadores do encontro, o prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso, ressaltou que, dos prefeitos das dez maiores cidades do Rio, nove apoiam Dilma, o que reuniria 60% do eleitorado do Estado. A conta inclui o prefeito da capital, Eduardo Paes (PMDB), que também organizou o jantar. Cardoso não quis dizer quantos prefeitos já estavam na Oásis. "Acabei de chegar", disse.

Périplo

Tentando reduzir os atritos, o presidente do PT, Rui Falcão, estará nesta sexta-feira, 25, no Rio, para reuniões em sequência com as quatro campanhas. Ele se encontrará com o prefeito Eduardo Paes às 7h30, no Centro Administrativo São Sebastião; com Garotinho às 12h30, possivelmente no escritório do ex-governador, na Glória; com Crivella às 17h, na Associação Comercial, no Centro; e com Lindbergh às 18h, em plenária no Sindicato dos Bancários.

TAGS