PUBLICIDADE
Notícias

Candidatos no Rio dão prioridade à Baixada Fluminense

18:40 | 06/07/2014
Rio, 6/7/2014 - Na largada da campanha ao governo do Rio, os principais candidatos priorizaram o eleitorado da Baixada Fluminense, na região metropolitana da capital. O atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), o petista Lindbergh Farias e o ex-ministro Marcelo Crivella (PRB) realizaram caminhadas em Nova Iguaçu prometendo ampliar o sistema de abastecimento de água, maior demanda da região. Já Anthony Garotinho (PR) preferiu iniciar a campanha em sua base política, na região de Campos.

Nova Iguaçu é o maior município da região, com cerca de 500 mil eleitores. O prefeito do PMDB, Nelson Bornier, recebeu o candidato Pezão no final da tarde, após extensa agenda política na capital. O governador prometeu ampliar o programa de melhorias urbanas na região. "Quem fez o asfalto, vai fazer a água", disse. Pela manhã, o atual governador visitou a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na Vila Kennedy, zona oeste do Rio, demarcando sua prioridade à segurança pública.

O candidato prometeu levar o modelo de UPP para as cidades da Baixada, ampliando o efetivo em 12 mil policiais e levando destacamentos do Batalhão de Operações Especiais (Bope) à região. "Nós vamos levar as UPPs para todo o território do Estado, uma política que muitos criticavam porque achavam que era só para grandes eventos. A segurança continua sendo prioridade", afirmou.

Pezão estava acompanhado pelo ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB) e por Francisco Dornelles (PP), que assumiu a candidatura de vice-governador no lugar de Felipe Peixoto, deputado estadual do PDT. Após a reviravolta, anunciada poucas horas antes do registro da candidatura, Pezão nomeou o deputado coordenador da campanha e destacou a contribuição do "extraordinário companheiro". Os afagos são uma tentativa de evitar a debandada do partido para a candidatura petista.

À tarde, Lindbergh Farias afirmou que já conversou com mais de 40 candidatos a deputado estadual pelo PDT em busca de apoio. O partido decidiu manter candidatura isolada ao senado, com Carlos Lupi, para reagir ao movimento pró-Aécio dentro da campanha de Pezão.

Lindbergh começou o dia na Feira de São Cristóvão, no Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, acompanhado pelo deputado federal Romário (PSB), candidato ao senado. O ex-jogador foi muito assediado por eleitores e fãs, enquanto Lindbergh foi presenteado com uma estátua de Padre Cícero e chamado de "nosso querido paraibano" - o político é natural de João Pessoa. Diante dos eleitores, o candidato bateu na tecla da mudança. "Há um cansaço da velha política", disse, prometendo maior qualidade nos serviços públicos.

O candidato petista já foi prefeito de Nova Iguaçu e deixou o mandato para concorrer ao senado, em 2010. À tarde, ele voltou à base, onde garantiu ampliar o sistema de distribuição de água na cidade. A promessa também foi repetida pelo ex-senador Marcelo Crivella, em campanha pelo PRB. "É um absurdo, a Baixada não tem rede de distribuição, mas tem água. E a água está dentro do caminhão-pipa explorando nosso povo", disse Crivella.

Reforçando sua presença na sua principal base política, Anthony Garotinho (PR) optou por iniciar a campanha com uma caminhada em Campos dos Goytacazes, "onde tudo começou". Ele estava ao lado da mulher e prefeita da cidade, Rosinha Garotinho, e da filha, Clarissa Garotinho, que concorre à uma vaga na Câmara Federal. "Cada uma das pessoas que vejo aqui tem uma história de luta, de trabalho. História que está apenas começando", afirmou.

O candidato do PSOL, Tarcísio Motta, participou pela manhã de caminhada ao lado da candidata à Presidência da República, Luciana Genro, pela orla de Copacabana, na zona sul.

TAGS