PUBLICIDADE
Notícias

"Senado não é casa para aposentadoria", diz pré-candidato José Guimarães

O deputado federal fez referência à possibilidade do ex-governador Tasso Jereissati entrar na disputa pelo Senado em 2014

10:47 | 22/04/2014
NULL
NULL
O deputado federal José Nobre Guimarães, pré-candidato ao Senado em 2014 pelo PT, afirmou, nesta terça-feira, 22, não temer uma candidatura do ex-governador Tasso Jereissati (PSDB). Ao mesmo tempo, deu um recado: o Senado precisa de renovação e não deve se transformar numa casa para aposentadoria de políticos. No domingo, 20, o presidente do PT estadual, Francisco de Assis Diniz, instigou que, se for candidato, “Tasso vai perder de novo”.

“Quem quer ganhar a eleição não teme ninguém. Com muita humildade, vamos comparar as trajetórias, comparar as histórias e comparar o legado e, a partir daí, o eleitorado do Ceará é quem define”, acentuou Guimarães, observando ser fundamental para o PT apostar na “renovação profunda” no Senado. Desde o governo de Lula, o PT tem se prejudicado com a queda de braço política nessa Casa. A mais recente peleja é a CPI da Petrobras.
[VIDEO1]
“O Senado Federal não pode ser a casa da aposentadoria dos políticos. Tem que colocar sangue novo, pessoas novas, forças novas para fazer do Senado um instrumento eficiente na defesa dos projetos para o Ceará”, disse Guimarães.

Sobre o ex-governador, o deputado acentuou: “O Tasso já cumpriu seu papel como político do Ceará. Foi governador três vezes, senador oito anos. Os ciclos políticos se iniciam e se encerram. É um fato natural”.
[SAIBAMAIS 3]
PSDB
A entrada de Tasso na disputa pelo Senado tem sido foco de pressão por parte de partidos opositores de Cid no Ceará e da cúpula nacional do PSDB. A formação de um palanque forte no Estado para o pré-candidato à presidência da República, Aécio Neves, depende do completo apoio de Tasso, o nome mais forte do PSDB cearense.

O ex-senador tem dito que não quer voltar ao cenário político-eleitoral, desde a derrota, em 2010, quando disputou o Senado com Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT).

O presidente do PT Ceará, Assis Diniz, disse que, se entrar na disputa, Tasso “vai perder de novo”. Em contrapartida, o presidente do PSDB-CE, Luiz Pontes, disse que o PT “não deveria se preocupar com as eleições dos outros, mas em explicar os roubos da Petrobras e arranjar novas penitenciárias para prender outros petistas”, disse Pontes, referindo-se ao mensalão.

Na manhã desta terça-feira, Luiz Pontes e Tasso Jereissati participam de reunião da cúpula nacional do PSDB. Na ocasião, devem ser articuladas reuniões com políticos do Ceará, como Roberto Pessoa (PR) e Eunício Oliveira, ambos prováveis candidatos ao Governo do Estado, para formação de chapa.

Redação O POVO Online
com informações do Blog do Eliomar

TAGS