PUBLICIDADE
Notícias

Deputados cobram informações sobre nova viagem de Cid ao exterior

Parlamentares questionaram o fato de a viagem não ter sido informada com antecedência, bem como posse do presidente do TJ-CE na noite de terça-feira

12:26 | 16/04/2014
NULL
NULL

Opositores de Cid Gomes (Pros) na Assembleia Legislativa questionaram, nesta quarta-feira, 16, suposta viagem do governador ao exterior. Parlamentares questionaram o fato de a viagem não ter sido informada com antecedência. Outro ponto criticado foi a posse do presidente do Tribunal de Justiça (TJ-CE), terceiro na linha de sucessão, mesmo com presença do vice-governador Domingos Filho (Pros) e do presidente da Assembleia Zezinho Albuquerque (Pros) no Estado.

“Ontem à tarde soubemos que o presidente do Tribunal de Justiça havia assumido o Governo do Estado, ele que é o terceiro na linha de sucessão, apesar do vice-governador e o presidente da Assembleia estarem aqui. Se a informação for verdadeira, houve um desequilíbrio por parte do governador que causou constrangimentos, inclusive de natureza eleitoral”, criticou Roberto Mesquita (PV).

[SAIBAMAIS 2]Em seu pronunciamento, o deputado questionou razões de Cid para não divulgar a viagem. “Acho mais que justo ele dar a reposta ao povo cearense”, disse, lembrando ainda polêmicas anteriores do governador com viagens: “Já teve o episódio do caso da sogra, e quando disse que estava na Coréia buscando investimentos, estava num cruzeiro pelo mar mediterrâneo”.

Intervindo nas críticas, Tin Gomes (PHS) declarou que a viagem ocorreu em licença particular, não havendo, portanto, necessidade de comunicação prévia à Assembleia. “Ele tirou 10 dias de licença particular. Ele não deve satisfação a ninguém do que vai fazer na sua licença particular. Se tivesse viajando oficialmente, concordaria que devesse comunicar”, avaliou.

Seca

Eliane Novais (PSB) lembrou ainda que, no início do ano, Cid cancelou férias em decorrência da seca no Estado. “O que mudou de lá para cá? A seca continua gritante”, disse. A deputada acusa ainda o governador de ter saído “sorrateiramente” do Estado, sem prestar satisfações aos cearenses.

Líder do governador na Assembleia, o deputado José Sarto (Pros) citou o artigo 84, da Constituição do Ceará, que diz que a comunicação só se faz necessária caso a ausência do governador, dentro País, seja superior a sete dias e, de 15 dias, se for para o exterior.

Redação O POVO Online

com informações da AL-CE

TAGS