PUBLICIDADE
Notícias

"O PMDB só me dá alegrias", diz Dilma Rousseff em meio à crise em aliança

A relação no Ceará entre PT e PMDB ainda não está definida

12:09 | 11/03/2014
A presidenta Dilma Rousseff (PT) minimizou, nesta segunda-feira, 11, a crise com a base aliada e disse que está satisfeita com a relação com o PMDB, maior partido da bancada de apoio ao governo. "O PMDB só me dá alegrias", disse, em entrevista antes de reunião bilateral com a presidenta eleita do Chile, Michelle Bachelet, em Viña del Mar.

Dilma se reuniu, na terça-feira, 10, com lideranças do partido para discutir a formação de alianças regionais entre o PMDB e o PT para as eleições de outubro. As duas legendas trabalham para manter o maior número de alianças possível no próximo pleito.
[SAIBAMAIS 2]
No encontro, Dilma sinalizou para a possibilidade de o PT abrir mão de candidaturas próprias ao governo de seis estados – Maranhão, Goiás, Alagoas, Paraíba, Tocantins e Rondônia – em prol do PMDB, em uma tentativa de melhorar a relação entre os dois partidos.

Líderes do PT e do PMDB farão mais reuniões para continuar negociando alianças para as eleições deste ano.

Ceará

A relação no Estado entre PT e PMDB ainda não está definida. Com a afinação entre cúpulas mesmo sem o Ceará na lista de concessões, fica ainda menor a probabilidade de que Eunício Oliveira (PMDB) conte com apoio petista na eleição do Ceará. O caminho indicado, pelo menos até agora, é de que o PT mantenha apoio ao candidato de Cid Gomes (Pros) no Estado. Em entrevista ao O POVO na noite de ontem, no entanto, Eunício afirmou que a questão cearense “ainda é negociada” e insistiu que ainda não há nada decidido sobre o assunto.

Redação O POVO Online
com informações da Agência Brasil

TAGS