PUBLICIDADE
Notícias

Após CPI da Petrobras, Congresso pode investigar ações ligadas a Campos e Aécio

Segundo José Pimentel, a ideia é ampliar CPI para investigar metrô de São Paulo, Companhia Energética de Minas e Porto do Suape

11:13 | 31/03/2014

Em reação à instalação de CPI para investigar a Petrobras, base governista no Congresso quer ampliar investigações para o metrô de São Paulo, Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e Porto do Suape. As duas primeiras ações envolveriam gestões do PSDB, prejudicando o pré-candidato do partido à Presidência, Aécio Neves. Já a terceira envolveria gestão do governador de Pernambuco e pré-candidato pelo PSB, Eduardo Campos.

A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 31, pelo senador José Pimentel (PT). "Nós vamos trazer um acréscimo (à CPI da Petrobras), trazendo o metrô de São Paulo para a CPI, porque tem recursos do Governo Federal naquela obra. Vamos trazer também o Porto do suape e trazer a Cemig", disse o petista, ao Blog do Eliomar.

Confira entrevista de Pimentel ao Blog do Eliomar:

[VIDEO1]

[SAIBAMAIS 2]Segundo José Pimentel, a ideia é investigar todas as ações que possuem recursos federais e "fortes indícios" de irregularidades. "No caso do metrô de São Paulo, é a primeira vez que vejo o Ministério Público denunciar 30 corruptores, mas nenhum corrompido", diz. Assim como Pimentel, Inácio Arruda (PCdoB) e Eunício Oliveira (PMDB) também são contra a instalação do grupo.

Ao portal Terra, Eduardo Campos reagiu à perspectiva de ser instalada comissão para investigar o Suape - uma espécie de "Porto do Pecém pernambucano". Segundo ele, ação seria "atitude infantil". "Não podemos de forma nenhuma admitir uma atitude que cheira até a infantilidade, de tentar fazer um processo de defesa que parece quase uma confissão de culpa, quando, em vez de responder com objetividade e tranquilidade um assunto, tenta puxar outros assuntos”, disse.

Redação O Povo Online
com informações do Blog do Eliomar

TAGS