PUBLICIDADE
Notícias

Ivo Gomes chama João Alfredo de "pateta" durante bate-boca na Câmara

14:34 | 18/02/2014
NULL
NULL

A ida do secretário de Educação de Fortaleza, Ivo Gomes, à Câmara de Vereadores foi mais uma vez marcada por bate-boca. Desta vez, entre o secretário e o vereador João Alfredo (Psol).

“Não vou levar desaforo de demagogo pra casa. Eu não tenho medo de você”, disse Ivo, após João Alfredo discordar de alguns dados referentes à pasta de Educação. O secretário afirmou também que o vereador vai “perder todas” as ações que por ventura vier a impetrar contra ele. Ivo disse ainda que João Alfredo era um “pateta”.

Além disso, o secretário fez referência à polêmica das passagens áreas do tempo em que Alfredo era deputado federal. “Você tem escândalo na sua vida. Você não devolveu o dinheiro das passagens”, acusou.
[SAIBAMAIS 2]
João Alfredo falou se dirigindo ao secretário, mas o microfone dele foi cortado por determinação da Mesa Diretora da Câmara. Pouco depois, o vereador Ronivaldo Maia (PT) saiu em defesa de João Alfredo e disse que Ivo não teve educação nem respeito ao usar o termo "pateta" para se referir ao vereador.

Ivo foi à Câmara apresentar um balanço da gestão. Da outra vez que ele foi à Casa, no ano passado, houve embate semelhante com vereadores do PT.

Resposta

O vereador João Alfredo, durante discurso, questionou o secretário sobre o funcionamento das bibliotecas e dos laboratórios de informática nas escolas municipais. Ele também destacou o remanejamento de professores e a lotação de alunos em escolas distantes da residência, dentre outras questões. João Alfredo afirmou que, em seu discurso, não atingiu pessoalmente o secretário e criticou a postura de Ivo Gomes em fazer agressões pessoais.

Segundo João Alfredo, o Psol fez interpelação judicial por episódios de acusação de Ivo Gomes ao partido. Sobre a referência à polêmica das passagens, o vereador rebateu destacando o episódio em que o governador Cid Gomes, irmão de Ivo, alugou avião para viajar com a família. João Alfredo afirmou que não há processo contra ele, como fez referência o secretário. 

Redação O POVO Online

TAGS